Missão Libertadores: veja o que o São Paulo planeja fazer até a semifinal

O São Paulo vai impor a si mesmo uma missão para os próximos 47 dias: estar bem no Campeonato Brasileiro quando for disputar a semifinal da Libertadores, nos dias 6 e 13 de julho, diante do Atlético Nacional, da Colômbia,melhor equipe da fase de grupos.

O entusiasmo geral depois da classificação sobre o Atlético-MG deixou no clube a sensação de que seria melhor entrar logo em campo para decidir vaga na final. Isso não é possível, já que o torneio sul-americano só será retomado depois da Copa América Centenário, disputada entre 3 e 26 de junho, nos Estados Unidos.

Por outro lado, os 12 jogos que o São Paulo tem pela frente nesse período, pelo Brasileirão, servirão para tentar manter a ascensão. A leitura da comissão técnica e diretoria é que o time terá mais chances de disputar uma boa semifinal da Libertadores se estiver bem na tabela nacional. Ajudaria a tirar um pouco do peso do confronto das costas dos jogadores.

Além da boa campanha, o Tricolor pode se aproveitar dos 47 dias para aprimorar outros pontos. Em 2010, o time também estava embalado na Libertadores, mas o futebol parou – inclusive o Brasileirão – por conta da Copa do Mundo. A volta foi traumática, a demora a se acertar novamente acarretou a eliminação para o Internacional, na semifinal, e na saída do técnico Ricardo Gomes. Desta vez, com tantos jogos pela frente como trunfo, o clube se arma para não sofrer novamente.

Veja o que o São Paulo tem que fazer enquanto a Libertadores não volta:

Contratar Maicon

Autor do gol da classificação à semifinal, pilar defensivo do equilíbrio que Edgardo Bauza tanto procura e ídolo da torcida, o zagueiro Maicon só tem contrato até 30 de junho. O São Paulo negocia sua contratação com o Porto, dono dos direitos. É prioridade total do departamento de futebol. Na atual situação, ele não poderia disputar a semifinal contra o Atlético Nacional.

Marcos Rocha; Maicon; Atlético-MG; São Paulo (Foto: AP Photo/Juliana Flister)Maicon é um dos principais nomes do elenco e pode deixar o time antes da semifinal (Foto: AP Photo/Juliana Flister)

Evitar o risco Calleri

O argentino, assim como o zagueiro, também foi contratado só até 30 de junho, mas seu contrato previa uma extensão automática em caso de classificação para a semifinal. Portanto, contar com o artilheiro da Libertadores, autor de 8 gols, será mais fácil. Mas para quem já sofreu antes com esse tipo de acordo (em 2006, Ricardo Oliveira foi embora antes da final contra o Internacional) todo cuidado é pouco. A diretoria, porém, diz que não haverá problema: Calleri estará em campo no dia 6.

Recuperar lesionados

Michel Bastos disputou as duas partidas contra o Atlético-MG longe de suas condições ideais. No Brasileirão, certamente terá suas escalações bem planejadas para que esteja sem problemas na semifinal. Outros jogadores, como Thiago Mendes e Maicon, também sofreram no último mata-mata, mas sem a mesma gravidade. O lateral-esquerdo Mena vai se recuperar de entorse no tornozelo na seleção chilena, durante a Copa América. Outros machucados poderão voltar e deixar o elenco com mais opções: João Schmidt, Caramelo e Daniel, por exemplo.

Segurança a Denis

Denis São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)Denis, goleiro do São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Alvo das principais críticas de são-paulinos durante a Libertadores, o goleiro tem 47 dias para assimilar o fato de estar na semifinal e se habituar a ser o sucessor do ídolo Rogério Ceni. A insegurança em alguns lances foi visível.

No Brasileiro, sem jogos que valem classificações a todo instante, sem estar tão na corda bamba a cada lance, Denis terá chance de retomar a melhor forma e a confiança para encarar os colombianos em julho.

Reforçar o elenco

Em 2010, durante a parada da Copa do Mundo, o Internacional, rival da semi da Libertadores, contratou reforços e articulou para antecipar a janela de inscrições. O São Paulo não se mexeu e foi eliminado.

Dessa vez é diferente. O adversário é de outro país e os jogos serão disputados depois da abertura regulamentar da janela, marcada para 20 de junho. Isso significa que jogadores contratados do exterior, por exemplo, poderão ser inscritos no torneio. Bauza quer rechear o elenco com atletas de “jerarquia”, expressão que usa para definir jogadores de peso, experientes e de currículos vencedores. Por enquanto, chegou um que não se encaixa nesse perfil: o atacante Ytalo, vice-campeão paulista pelo Audax.  Agora, a diretoria mira um jogador brasileiro que atua fora do país.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.