Majestoso quente: 10 motivos para o aumento da rivalidade entre os times

Corinthians e São Paulo precisavam se encontrar na Taça Libertadores para completar a vasta lista de confrontos dos últimos anos, seja dentro ou fora de campo. Era o que faltava para apimentar ainda mais uma disputa que cresce a cada ano. Com o Palmeiras em baixa, Timão e Tricolor atingiram um novo patamar de rivalidade desde a virada dos anos 90 para 2000. A briga por títulos deixou de ser o motivo principal. Do Morumbi a Itaquera, os clubes alimentaram a discórdia e viraram inimigos.

Em 2009, o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, cumpriu o que está previsto no Estatuto do Torcedor e só deu 10% dos ingressos para o Corinthians antes de um clássico pelo Paulistão. A postura do dirigente revoltou Andrés Sanches, mandatário alvinegro. Ele prometeu e cumpriu: o Timão nunca mais jogou como mandante no Morumbi.

CENTÉSIMO DE CENI

Rogério Ceni 100 gols  (Foto: Wander Roberto / VIPCOMM)Rogério Ceni marcou seu 100º gol contra o rival (Foto: Wander Roberto / VIPCOMM)

Em 27 de março de 2011, o que todos os são-paulinos sonhavam aconteceu. Rogério Ceni fez seu gol de número 100 na carreira exatamente contra o maior rival, o Corinthians. Com uma cobrança de falta perfeita, no ângulo direito do goleiro Julio Cesar, o camisa 01 marcou para sempre seu nome na história do Majestoso.

PROVOCAÇÕES

Vampeta 1998 (Foto: Reprodução)Vampeta sempre adorou apimentar clássico
(Foto: Reprodução)

Os últimos anos foram recheados por declarações polêmicas dos dois lados. Vampeta criou o apelido “bambi” para os tricolores, enquanto Souza, sempre lembrando do rebaixamento alvinegro, liderava a guerra do outro lado. Entre os dirigentes isso também acontecia. Antônio Roque Citadini, pelo Corinthians, e Marco Aurélio Cunha, pelo São Paulo, adoravam trocar alfinetadas.

PALMEIRAS EM BAIXA

torcida Palmeiras 2012 jogo Botafogo (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Verdão caiu duas vezes desde 2002
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

A rivalidade entre Corinthians e São Paulo aumentou também pelo momento ruim do Palmeiras nos últimos anos. O Verdão foi rebaixado no Campeonato Brasileiro e se afastou da briga por grandes títulos. Enquanto isso, Timão e Tricolor se fortaleceram e passaram a duelar com o Santos pelo poder no estado.

GRAFITE E A SALVAÇÃO DO TIMÃO

Grafite São Paulo (Foto: Diário de São Paulo)Grafite salvou o Timão em 2004
(Foto: Diário de São Paulo)

Em 2004, o São Paulo tinha a chance de rebaixar o Corinthians no Campeonato Paulista. O Timão perdeu em casa para a Portuguesa Santista e passou a contar com um triunfo do Tricolor sobre o Juventus para escapar. A torcida era favorável à derrota para o Moleque Travesso, mas Grafite marcou duas vezes, garantiu a vitória por 2 a 1 e manteve o rival na Primeira Divisão estadual.

RICARDINHO

ricardinho corinthians santos semifinal paulista 13/05/2001 (Foto: agência Gazeta Press)Saída de Ricardinho para o São Paulo foi polêmica
Foto: agência Gazeta Press)

A hegemonia do Corinthians no fim dos anos 90 e início de 2000 fez a diretoria do São Paulo apostar em enfraquecer o rival. O clube pagou R$ 7,8 milhões ao Timão e contratou o meio-campista, um dos símbolos daquele time vencedor. O armador, porém, teve problemas de relacionamento no Tricolor e nunca conseguiu jogar em alto nível no Morumbi.

PATO POR JADSON

Montagem, Jadson X Pato (Foto: Editoria de arte)Jadson e Pato: trégua nas polêmicas
(Foto: Editoria de arte)

São Paulo e Corinthians protagonizaram em 2014 uma surpreendente negociação. Apesar da rivalidade em campo, os clubes conseguiram se entender no acordo. O Tricolor mandou Jadson e recebeu Alexandre Pato. Até agora fica a dúvida sobre quem se deu melhor. Nenhum dos dois conseguiu jogar até o momento o que as direções esperavam.

TABUS

Wellington Emerson jogo Corinthians São Paulo Recopa (Foto: AFP)Tabus para os dois lados acirram rivalidade
(Foto: AFP)

O Majestoso ficou marcado também por grandes tabus dos dois lados. O São Paulo chegou a ficar 14 jogos sem perder para o Corinthians – foi quebrado em 2007. Nos últimos anos, o Timão devolveu com 11 duelos de invencibilidade – finalizado em 2012. O Alvinegro leva vantagem agora nos confrontos de mata-mata. São nada menos que seis vitórias consecutivas sobre o rival.

QUEDA DE TÉCNICOS

Ney Franco São Paulo cruzeiro (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Ney Franco caiu após derrota para o Timão
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Perder o Majestoso custou o emprego de muitos treinadores, principalmente no lado do Corinthians. Só nos anos 2000, seis técnicos do Timão caíram após derrotas para o São Paulo, entre eles Tite. São 14 no total. O último, porém, foi do São Paulo. Ney Franco disse adeus ao cargo depois de perder para o Timão no primeiro duelo pela Recopa Sul-Americana.

PALCO DE COPA

Arena Corinthians x Once Caldas (Foto: Marcos Ribolli)Arena Corinthians foi usada na Copa
(Foto: Marcos Ribolli)

A disputa entre os dirigentes continuou nos anos seguintes e chegou ao Mundial. O Morumbi estava certo como o estádio paulista no torneio, mas as obras exigidas pela Fifa e a força de Andrés na CBF mudaram o quadro. O corintiano apresentou o projeto de uma nova arena, construiu a tão sonhada casa alvinegra e venceu a disputa.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*