Mais maduro, Reinaldo sabe que terá de reconquistar torcida se voltar

Reinaldo reencontrará a torcida do São Paulo nesta quinta-feira, às 20h (de Brasília), no Pacaembu. Possivelmente pela última vez como adversário. O lateral emprestado para a Chapecoense até o fim do ano deverá retornar ao Morumbi em 2018.

Essa é a intenção do Tricolor: valorizar o jogador de 28 anos e renovar seu contrato. Na semana passada, representantes do clube paulista se reuniram com o empresário de Reinaldo e manifestaram o interesse na volta dele. O próprio atleta, por sua vez, mantém o foco na Chape.

– Digo para o meu empresário não me falar as coisas para que eu não seja mal interpretado na Chape. Meu foco é fugir do rebaixamento com a Chapecoense. É a camisa que estou vestindo. Vou pensar em 2018 depois do último jogo, contra o Coritiba – disse.

O maior desejo de Reinaldo é ver a Chape e o São Paulo livres do rebaixamento do Brasileirão. Em 2016, ele fez valer a lei do ex e marcou, pela Ponte Preta, o gol da vitória contra o Tricolor. Agora, apesar de buscar pontos contra o ex-time, torce pelo sucesso dos adversários desta quinta.

– Daqui a duas ou três rodadas, espero que estejamos livres e o São Paulo também. Vai ser uma felicidade imensa. A concentração é aqui na Chape: estamos um pouco abaixo do São Paulo (três pontos) e precisando de pontos. A Chape precisa dessa vitória ou ao menos somar. Vamos com o objetivo de roubar pontos – disse Reinaldo.

Você é a favor do retorno de Reinaldo?

Mesmo concentrado na equipe catarinense, o lateral conversou com o GloboEsporte.com sobre como seria um eventual retorno ao Morumbi. Lembrando que o Tricolor definiu a permanência de Edimar.

Reinaldo, lateral do São Paulo, está emprestado para a Chapecoense (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)

Reinaldo, lateral do São Paulo, está emprestado para a Chapecoense (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)

Confira a entrevista com Reinaldo:

GloboEsporte.com – Depois de sair criticado pela torcida, passar por Ponte Preta e Chapecoense, voltar ao São Paulo seria uma redenção? O que significaria?
Reinaldo 
– Saí em um momento não tão bom e posso voltar jogando muito bem por onde passei. Vai ser muito gratificante, se voltar e der tudo certo. Não sei se vai ser de redenção, mas quero ajudar o São Paulo e vou dar o máximo para fazer o São Paulo campeão, porque é a meta para time grande. Sendo campeão, sempre fica fácil de jogar. Time grande é isso: se não ganhar título, tem cobrança.

Como recebeu a notícia do interesse do São Paulo no seu retorno?
 Muito feliz, com a certeza de que, se voltar, vou mais maduro para ajudar. Se for do interesse de todos, darei o melhor para mostrar o que fiz nesses dois anos fora (do clube). Quando saí, não estava muito bem com a torcida, mas, se voltar, meu foco é dar muita felicidade ao torcedor são-paulino. Fico feliz de falarem que me querem de volta, treinador e diretor. É uma felicidade tremenda. Agora é esperar e ver o que vai acontecer.

Sua carreira passou por uma reviravolta desde que saiu do São Paulo…
– Essa saída foi muito boa para mim e para o São Paulo. Foi no momento certo de ser emprestado para a Ponte Preta. Fiz um excelente ano. Agora nesse ano também. Estou mais maduro em todos os sentidos. Creio que nesses dois anos sendo emprestado mostrei meu trabalho por onde passei. Consegui me valorizar. Se voltar para o São Paulo será com a cabeça boa, mais maduro e para ajudar sempre. Esse é o objetivo: em 2018, quero dar o meu melhor onde for.

Essa luta do time contra a zona de rebaixamento causou surpresa?
– Sim, porque o São Paulo é de G-4 para cima, briga para ser campeão. Sempre estive na torcida, independentemente de estar (no clube) ou não. Na Ponte e na Chape sempre torci, porque é um clube que me acolheu. O São Paulo vem dando a volta por cima. Tenho certeza que esse ano e o passado serviram de aprendizado. Sempre tive a convicção de que não ia cair.

Rui Costa, diretor da Chapecoense, disse que você é um dos melhores laterais do Brasil. Como recebeu essas palavras?
– Com muita gratidão. Ele que ligou para o meu empresário e falou comigo quando cheguei. Dentro de campo tento me doar ao máximo. Acho que por isso falou que sou um dos melhores. Graças ao meu trabalho, ao dele e à confiança da direção da Chape. Todos estão em sintonia. Até 3 de dezembro vou dar tudo. Nunca vou me esquecer desse clube, independentemente de onde for. Foi um ano muito bom para a minha carreira essa reconstrução da Chape e esperamos deixar o time no mesmo lugar: na primeira divisão.

O pessoal brincava muito com você nos rachões do São Paulo. Com quem tem mais amizade do atual elenco?
– Converso muito com o Rodrigo Caio. É um excelente jogador e uma pessoa maravilhosa. Pra mim sempre foi um espelho desde que cheguei ao São Paulo. Em treino e nos jogos: é um cara que se entrega e se doa ao máximo. Está sempre na minha lembrança dos tempos de São Paulo e levo para toda a minha vida.

Reinaldo defendeu o São Paulo de 2013 a 2015 (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Reinaldo defendeu o São Paulo de 2013 a 2015 (Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net)

Como vai ser enfrentá-lo?
 Difícil, é muito competitivo e jogador de seleção. Não caio muito no lado dele. Tomara que os atacantes sobressaiam. Será um duelo muito bom. O time todo do São Paulo é qualificado. Sabemos que tem de marcar muito e jogar com a bola no pé. O nosso time joga. Então tem de marcar forte e não dar brecha.

Você fez oito gols e deu 12 assistências no ano. Superou a meta que imaginava para o ano?
 Brinco com meu empresário sobre essas metas. Ele sempre fica falando de brincadeira: “Falta mais um gol”. Na última temporada, fiz quatro gols e ele dizia que dava para fazer seis ou sete. Esse ano até passou. Ele cobra, mas para lateral não é muito fácil. Se der para fazer gol, faço, mas dar assistência é mais normal.

Por que acha que amadureceu nesses dois anos?
– Com o passar dos anos você vai amadurecendo após receber críticas. Não só no São Paulo, mas na Ponte tive altos e baixos. Aqui na Chape também. Quando alguém cai de produção é porque o time também está deixando a desejar. Aprendi a manter o foco, trabalhar e não deixar nada nem ninguém abalar o emocional e a confiança. Tentar dar o melhor: o drible e o passe arriscado com confiança. Isso que aprendi. Se errei e perdi a bola, levanta a cabeça. Fica tranquilo e dentro do jogo vai recuperar. Se não nesse, no próximo jogo. A crítica, vai ter. Ninguém pode agradar a todos. O objetivo é um só: deixar o clube bem.

Falando nas críticas, a torcida do São Paulo pegava muito no seu pé. Como foi aquele período?
 Complicado. Mesmo se não estava no jogo, o meu nome era citado. Mas aprendi a lidar com as críticas. Não passei por cima de ninguém, mantive a humildade e os pés no chão sabendo do meu potencial. Não ligava muito para as coisas ruins e focava no meu potencial. Não era aquilo que estava demonstrando e sim nesses dois anos em que fiquei fora. Isso tudo me fez amadurecer, mas sigo com a mesma humildade de sempre. Se for voltar, estarei com a cabeça boa e tranquila.

Reinaldo em ação contra o São Paulo pela Ponte Preta (Foto: Marcos Ribolli/GloboEsporte.com)

Reinaldo em ação contra o São Paulo pela Ponte Preta (Foto: Marcos Ribolli/GloboEsporte.com)

Se realmente voltar, tem noção de que terá de reconquistar parte da torcida do São Paulo que olha para você com rejeição?
– Sim, sei que vou precisar reconquistar os torcedores que ainda não acreditam em mim. Mas tenho toda convicção de que vou dar o meu melhor sempre no São Paulo e fazer os que não acreditam em mim mudarem de ideia. Vou dar o máximo, lutar e fazer o que tiver de fazer para ser campeão. Assim, os que não gostam vão aprender a gostar. Ganhar títulos é gratificante para o torcedor.

Veja as informações do São Paulo para enfrentar a Chapecoense:

Local: Pacaembu, em São Paulo
Data e horário: quinta-feira, às 20h (de Brasília)
Provável escalação: Sidão; Araruna, Rodrigo Caio, Arboleda e Edimar; Jucilei; Petros, Hernanes, Marcos Guilherme e Shaylon; Lucas Pratto
Desfalques: Morato e Wellington Nem (ambos com cirurgias no joelho direito), Bruno (cervicalgia), Éder Militão (estiramento na coxa esquerda) e Cueva (está na Seleção Peruana para a repescagem da Copa do Mundo de 2018)
Pendurados: Bruno, Hernanes, Jonatan Gomez, Lucas Fernandes, Lucas Pratto, Lugano, Petros, Renan Ribeiro, Rodrigo Caio e Sidão
Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique (RJ), auxiliado por Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)
Transmissão: Premiere e Premiere HD, com narração de Jota Júnior e comentários de Sérgio Xavier

Fonte: Globo Esporte

7 comentários em “Mais maduro, Reinaldo sabe que terá de reconquistar torcida se voltar

  1. Corremos o risco de contratar o Zeca, que só jogou bem com o Dorival, pagar alto pelo jogador e, assim como foi com o Buffarini, termos mais um penduricalho herdado por treinadores que querem jogar com “os seus” (tipo Murici com Bruno e Carlinhos).
    No Santos o Zeca teve bons momentos mas foram menores que os mal momentos lá vividos: apenas que a mídia exagera na hora de elogiar.
    O Reinaldo também teve bons momentos nos times por onde passou, inclusive bons jogos pelo tricolor…

    • Aline, não acho o Reinaldo um craque; mas como explicar que ele vai bem em outros times e não no S.Paulo? Esse jogo a que você se refere, contra o Cruzeiro, ele tomou 2 ou 3 bolas nas costas após erros de alguém na frente que errou passe ou foi desarmado com os lançamentos feitos atrás do lateral que deve, sim, apoiar o ataque quando o time está na posse da bola. Erro maior foi de cobertura do zagueiro pela esquerda, já que, se o treinador tivesse orientado corretamente sua zaga, saberiam que o Marquinhos tinha muita velocidade e esta jogada era mortal naquele momento do time mineiro. Como era jogo de desclassificação e os gols saíram após essas jogadas, o cara ficou marcado por nosso torcida. Na minha opinião ele é muito melhor que o Mena, que ficou em seu lugar, e também melhor que os que temos hoje. Talvez o Jr Tavares, se bem orientado, possa vir a ser melhor que ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*