Liziero muda estilo de jogo do São Paulo e deixa lesões para trás

Desde que retornou da lesão no tornozelo direito, sofrida em maio, Liziero não saiu mais do time titular do São Paulo. Já são três jogos, com duas vitórias, uma derrota e uma mudança no estilo de jogo do Tricolor.

Com a entrada de Liziero, o volante Luan foi quem perdeu a posição e, consequentemente, o São Paulo passou a ter um meio de campo mais leve. O trio é completado por Tchê Tchê e Daniel Alves.

– São três jogadores com características parecidas, que gostam de ter a bola no pé, de tocar, que saem para se movimentar. Isso acaba deixando o time mais leve, mais móvel. A gente está se entendendo bem, conversando a cada jogo, conversando a cada semana para ficar bem posicionado – afirmou o jogador ao Grupo Globo.

Liziero também dá alternativas para que Cuca possa modificar o esquema tático da equipe no decorrer do jogo. Contra o Athletico-PR, por exemplo, ele começou como volante e terminou como ponta pela esquerda. Vitor Bueno, que estava por aquela região do campo, tornou-se um segundo atacante.

A tática surtiu efeito, e o gol da vitória saiu exatamente de uma jogada com Liziero pela esquerda e a finalização de Vitor Bueno dentro da área.

– Essa polivalência eu tenho desde a base. Eu comecei no São Paulo de lateral, fui para volante e o Jardine já me usou mais aberto. O que for para ajudar o time eu vou tentar fazer. O professor pediu para ir lá e ajudar a equipe – disse.

Liziero foi titular nos últimos três jogos do São Paulo — Foto: André Durão

Liziero foi titular nos últimos três jogos do São Paulo — Foto: André Durão

Além dessa solidariedade dentro de campo, Liziero também quer deixar para trás as lesões que o afastaram de grande parte dos jogos do Tricolor neste ano. Em duas das três lesões mais graves, o jogador recebeu uma entrada mais dura no tornozelo e levou a pior.

– Quem me conhece de antigamente sabe que nunca me machuquei. No ano passado eu joguei o ano todo e não me machuquei. Tomei dois carrinhos no mesmo tornozelo, mas é uma coisa que eu não carrego comigo. Se Deus colocou foi para eu aprender alguma coisa. E uma coisa que minha mãe sempre diz: “Deus quer que a gente ande para frente” – afirmou Liziero.

– Para mim já foi, aprendi muito, porque foi uma fase de minha vida que eu nunca tinha vivido, ficar na fisioterapia, com dores e agora estou no campo que é uma coisa que eu gosto de fazer – completou.

E Liziero deve estar em campo mais uma vez como titular no próximo sábado, às 11h (de Brasília), no Morumbi, contra o Grêmio, com a camisa por dentro do calção – uma peculiaridade que chamou a atenção dos torcedores nos últimos jogos e repercutiu nas redes sociais

– Sempre joguei na base com o calção para dentro. No profissional eu parei e falei que eu ia voltar como antes, é como me sinto bem. Os moleques até brincam que é o Liziero do sub-15. Depois eu vim para o profissional eu tinha parado, e agora estou voltando.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.