Legado de Rogério impressiona Muricy: “Poucos ídolos assim”

Comandante do São Paulo na conquista do Tricampeonato Brasileiro, em 2006, 2007 e 2008, Muricy Ramalho esteve ao lado do M1TO em momentos importantes do goleiro. Um dos grandes nomes na história do clube, Rogério Ceni deixará os gramados no final da temporada. E de acordo com o comandante, que nunca escondeu a sua admiração pelo capitão são-paulino, o legado do camisa 01 impressiona.

“A comemoração do gol que ele fez contra o Bahia (2 x 1), no Morumbi, foi um exemplo de carinho, parceria e agradecimento que todos têm por ele. E isso é difícil, porque temos poucos ídolos que significaram tanto assim. Ele é um personagem do futebol mundial. Mas, estamos nos preparando porque a vida é assim”, afirma o treinador, que foi um dos responsáveis pela renovação de contrato de Rogério.

O arqueiro iria pendurar as luvas em 2013. No entanto, com o aval e vontade de Muricy, o M1TO renovou o seu contrato e permaneceu embaixo das traves do São Paulo. “Estava definido que ele iria parar no ano passado, mas comecei a história para que ele pudesse continuar. Felizmente todos compraram a ideia e ele ficou. Além de um grande goleiro e excelente profissional, o Rogério tem muito caráter”, opinou.

Amigo do capitão, o técnico são-paulino conhece o goleiro como poucos. Em 1997, contra o União São João de Araras, Muricy comandava o time e viu o M1TO marcar o primeiro gol de sua carreira. No dia 15 de fevereiro, no Estádio Hermínio Ometto, o camisa 01 deu iniciou a sua bela trajetória com a bola nos pés.

“Já são mais de 20 anos de amizade. Conheço bem ele.  Goleiro sente muitas dores, e isso é complicado. Mas o Rogério sempre se cuidou e por isso chegou até aqui. Claro, a gente respeita a decisão dele de parar e, por isso, o deixamos à vontade para decidir”, acrescentou o comandante, que enumerou os exemplos que o líder deixará para todos no elenco.

“Ele é um cara que ajuda e cobra. Quando perde, não dorme. E este é o tipo de profissional diferente, porque ninguém quer este tipo de sacrifício. Muitos, na primeira proposta, já vão embora sem ter vestido a camisa direito. Por isso, a saída dele será ruim para o futebol. São frutos do trabalho desde que ele começou. Teve que ter paciência e, quando chegou a vez dele, agarrou e não deixou mais brechas. Para alcançar as marcas dele e com tanto sucesso, só da maneira que ele fez. Merece todo o prestigio que tem, porque lutou muito por isso”, finalizou.

Vale lembrar que, atualmente, com 589 triunfos, o M1TO divide o recorde mundial de vitórias por um mesmo time, em jogos de competição oficial – não são considerados amistosos – com Ryan Giggs, que jogou no Manchester United-ING de 1991 a 2014. Uma vitória sobre Goiás poderá isolar o capitão são-paulino como o grande recordista.

O Guinness World Records – Officially Amazing reconheceu três feitos grandiosos do atleta são-paulino durante a temporada passada. Atleta de futebol que mais vezes jogou como capitão de seu time, com 866 jogos de competição até 24 de novembro de 2013. Recorde de gols atualizado até os 113 que tinha até 13 de novembro do ano passado e recordista em número de jogos pelo mesmo time, com 1117 partidas. As marcas do atleta tricolor estão ainda mais expressivas com as atuações em 2014.

 

Fonte: Site Oficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*