Juiz com histórico de problemas com São Paulo apitará jogo contra o Galo

A Conmebol definiu neste sábado os árbitros que apitarão as duas partidas entre São Paulo e Atlético-MG, válidos pelas quartas de final da Copa Libertadores. O controverso Wilmar Roldán, da Colômbia, foi escalado para o duelo dessa quarta-feira, no estádio do Morumbi. Já o uruguaio Andrés Cunha será o juiz do segundo jogo entre as equipes, no estádio Independência

Roldán acumula uma série de problemas em jogos do Tricolor. Em 2011, o colombiano apitou a derrota por 2 a 0 para o Libertad, em Assunção, que custou a eliminação do time na Copa Sul-Americana. Após o jogo, ele expulsou o lateral esquerdo Juan e foi acusado pelo jogador de ter proferido ofensas racistas.

“No lance em que fui cobrar os três minutos de acréscimo, o árbitro falou para mim: ‘sai daqui, macaco’. E quando eu falei para ele, ‘me chama agora de macaco’, ele agiu covardemente e me expulsou. Isso que a Conmebol faz é uma brincadeira”, denunciou Juan, na ocasião.

Dois anos depois, em março de 2013, em um jogo válido pela Copa Libertadores, Roldán voltou a provocar a fúria dos são-paulinos ao apitar um empate por 1 a 1 com o Arsenal de Sarandí, no Pacaembu. Ele marcou um pênalti controverso para os argentinos, aos três minutos do segundo tempo, e expulsou o atacante Luis Fabiano ao término do confronto.

O árbitro uruguaio Andrés Cunha (de amarelo) atuando durante a partida entre São Paulo FC e River Plate, da Argentina, válida pela quinta rodada do Grupo 1 da Copa Libertadores da América 2016.
Andrés Cunha expulsou Vangioni na vitória do São Paulo sobre o River Plate (Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press)

À época, o centroavante disse que também tinha reclamado do acréscimo desproporcional que Roldán havia dado na etapa complementar. Ele ainda argumentou que o árbitro não tomou nenhuma decisão diante de insultos racistas que haviam partido dos adversários. “O juiz estava estranho, falando que ia me tirar do jogo. Os jogadores do Arsenal me chamaram de macaquito várias vezes, mas eu não seria idiota de insultar o juiz”, justificou o Fabuloso, após a expulsão.

O São Paulo voltou a reencontrar Roldán na Libertadores do ano passado. Ele apitou a vitória por 1 a 0 sobre o San Lorenzo, no Morumbi, e teve atuação discreta. A equipe argentina foi dirigida no torneio daquele ano pelo atual técnico do Tricolor, Edgardo Bauza.

Já o árbitro da volta, Andrés Cunha, esteve esse ano no Morumbi para apitar a vitória por 2 a 1 sobre o River Plate, na fase de grupos da Libertadores. O uruguaio fez bem a sua função e expulsou o argentino Vangioni, que havia dado um tapa no rosto do são-paulino Calleri.

Auxiliares – A Conmebol também informou que os colombianos Eduardo Diaz e Humberto Clavijo auxiliarão Roldán no jogo de ida das quartas de final. Os uruguaios Carlos Pastorino e Horácio Ferreiro serão os bandeiras do duelo de volta.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.