Jardine diz que São Paulo ‘assumiu risco da mudança’ e foca em melhora

Se deu sinais de evolução nas duas primeiras partidas sob o comando de André Jardine, contra Grêmio (1 a 1) e Cruzeiro (1 a 0), o São Paulo teve uma de suas piores atuações do ano na derrota por 2 a 0 para o Vasco, nesta quinta, em São Januário. De acordo com o interino, já era esperado que os jogadores demorassem a assimilar algumas ideias após a troca de treinador.

– É um desafio bastante grande. O São Paulo assumiu o risco da mudança, o risco de injetar ideias novas, alguma coisa diferente, sabendo que nisso tem coisas boas e tem coisas que os jogadores demoram um tempinho para assimilar. A gente está lutando ao máximo para o desempenho ser adequado para bater nossa meta de G4. O foco é melhorar alguma coisa especialmente em ideias para atacar, para ser mais inteligente ofensivamente. Vamos ter um jogo em casa em que vamos ter que propor (contra o Sport, na segunda-feira) e um jogo em casa com a Chapecoense onde vamos ter que buscar resultado – analisou o gaúcho de 39 anos.

O Tricolor tinha a chance de ultrapassar o Grêmio e entrar no G4 do Brasileirão, mas segue empatado em pontos com a equipe de Renato Portaluppi (62) e com menos vitórias (16 contra 17).

– A gente encarou o jogo como uma decisão, assim como o Vasco. Foi extremamente tenso, por todo o ambiente, todo o clima do estádio. Mas a gente procurou convencer o grupo de que era uma decisão, que precisávamos encarar dessa maneira. Realmente deixamos escapar uma oportunidade de ouro de passar o Grêmio e encostar no Inter. Entendemos que o desempenho melhorou em algumas coisas, mas ainda muito aquém do que a gente imagina – emendou Jardine.

 

Fonte: Lance

5 comentários em “Jardine diz que São Paulo ‘assumiu risco da mudança’ e foca em melhora

  1. O SPFC admnistrativamente é a cópia do modelo falido do PT baseado em mentiras e cargos direcionados aos amigos sem capacidades técnicas.
    As palavras do Aidar ladrão ao Paulo Nobre menosprezando e diminuindo o adversário, caracterizam o SPFC de hoje , que é um clube derrotado e diminuto.
    E tal qual o PT que roubou o Brasil, com o Aidar tivemos a certeza de que o ex presidente roubou e roubava o SPFC, e mesmo com provas o mesmo nem foi pra cadeia pra não abrir a caixa de pandora.
    Temos a administração mais nefasta, corrupta e perdedora de nossa história e se o SPFC quiser continuar grande terá que sofrer imensas mudanças, a começar eliminando esse Conselho omisso e inoperante que além de não ajudar o time de futebol, são coniventes e manconunados com os que mancham a história vitoriosa do SPFC.

  2. Se acharam “tenso” o ambiente do estádio, fico imaginando o que não sentirão na Libertadores, talvez nem entrem em campo.
    Desculpa de quem, infelizmente, não está preparado, me enganei.

  3. Sua tese lembra muito a postura do Pres. Michel Temer que, quando assumiu… dizia que não fazia parte da gestão anterior, a despeito de ser o vice. Interessante esse ponto de vista, posto que, se válido, faz com que a função de “auxiliar técnico” seja totalmente dispensável… certo?

  4. Jardine você é um cara inteligente, multi campeão na Base,mas nada contra a você, a Culpa não era do Aguirre? Time não melhorava, não evoluía, não extraia o melhor, São Paulo tem que melhorar muito o elenco para 2019, abrir os cofres mesmo, porque senão é mais um ano na Fila, vamos aguardar quem fica no Comando, Jardine ou outro Técnico, planejamento já tem que estar pronto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*