Isentando o time de um possível pênalti, Rhodolfo compreende esforço

Brigando por uma vaga no G4, o São Paulo teve a chance de diminuir a diferença para o Vasco – que atualmente é de quatro pontos – para apenas dois, na noite da última quarta-feira, diante do Internacional. Mesmo com um jogador a mais desde a metade do segundo tempo – D’Alessandro foi expulso -, o Tricolor não conseguiu infringir a defesa do Colorado e ficou no empate em 1 a 1.

O zagueiro Rhodolfo acredita que, mesmo o time se saindo bem em campo, nem sempre o resultado final é o mais evidente em relação ao desempenho em campo.

– Tocamos bem a bola e, no último lance, não estávamos acertando. A nossa bola não entrou. No finalzinho, a bola passou perto e não entrou. Foi o dia em que tentamos, tentamos e não conseguimos. As duas equipes foram bem, mas demos bobeira no fim. Infelizmente, não é sempre que o melhor vence – declarou o beque, na saída de campo.

Questionado sobre uma possível penalidade máxima de Cortez em Fabrício, nos minutos finais do jogo, o jogador desviou do assunto e preferiu compadecer com o árbitro Ricardo Marques Ribeiro.

– Pela minha visão, não foi. Da distância em que eu estava, eu não vi que foi pênalti, não – completou o zagueiro, que agora quer a vitória diante do Santos, no domingo, para manter o sonho de disputar a próxima Libertadores.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*