Ídolos de 1977 não confiam em Luis Fabiano contra o Atlético-MG

O São Paulo precisa se inspirar no milagre da conquista do Brasileirão de 1977, em cima do Atlético-MG, para o confronto desta quarta-feira, às 22h, no estádio Independência, em Belo Horizonte, Minas Gerais, pelas oitavas de finais da Copa Libertadores da América. Apesar de contar com o retorno do atacante Luis Fabiano para a partida, o jogador é visto com desconfiança pelos ídolos daquela época.

Após perder a partida de ida por 2 a 1, em pleno Morumbi, o clube paulista terá a experiência de Luis Fabiano para conseguir a façanha. No entanto, o artilheiro  não marca um gol desde a partida contra o Paulista de Jundiaí, em março, ainda pela primeira fase do Paulistão Chevrolet.Isso sem falar que o Fabuloso perdeu um pênalti decisivo nas semifinais do Estadual contra o Corinthians, que culminou com a eliminação da equipe são-paulina no torneio.

Será que o artilheiro consegue reverter essa situação? Os ídolos do São Paulo na conquista de 77 não confiam no espírito de liderança do atacante.

Para o ex-goleiro Waldir Peres, campeão  em 1977,  o camisa 9 tem faro de gols apurado e pode até deixar sua marca no Independência, mas não apresenta nenhuma condição de liderar o time diante de uma reviravolta contra o Atlético-MG. Waldir foi além e criticou a falta de líderes sérios no elenco tricolor, com exceção do capitão e goleiro Rogério Ceni.

– Ele não está jogando nada, mas ele é artilheiro e tem condições de fazer os gols lá pelo São Paulo. Outra coisa é que não sei se o time tem jogadores que possam fazer isso. O único líder lá é o Rogério e ele joga no gol. Falta um líder na linha, como Chicão, Daryo Pereira, que atletas que comandam o time. Não vejo isso na equipe do São Paulo. Luis Fabiano não tem condição nenhuma pela personalidade dele, o Ganso também não tem confiança para essa função. É um jogador mais tranquilo e quieto, precisa mostrar mais garra – disse, com exclusividade ao LANCE!Net.

Outro que seguiu o coro do ex-goleiro foi Rubens Minelli. Técnico do São Paulo na conquista de 1977, o ex-comandante criticou as contratações de jogadores veteranos como Lúcio e Luis Fabiano e também explicou a diferença de sua equipe campeã com a atual de Ney Franco. No entanto, o ex-treinador acredita que o São Paulo consiga reverter a situação.

– É uma questão muito delicada e tenho uma ideia diferente disso. Quando o cara sai, não deve voltar. Quando o jogador vem da Europa com idade avançada, você não tem o aproveitamento total dele. Eles chegam aqui sem a força de quando foram. São mais maduros, mas tem outro tipo de vida, outra maneira de ver as coisas. Não sou adepto de trazer jogadores veteranos, um ou outro sim, mas você pensar em reforçar a equipe porque tem grandes nomes, não. Tem que ver o momento atual, quanto rendia quando saiu e quanto rende agora que está voltando. Estabelecer um paralelo. Isso não acontece, o cara tem nome e é contratado, você não sabe o que vai acontecer e essa loteria não tem dado muito prêmio, nós temos aí cinco ou seis jogadores no Brasil que voltaram ganhando fortunas e não rendem o investimento – disse o ex-treinador, ao LANCE!Net.

O São Paulo conquistou o Campeonato Brasileiro de 1977 em cima do Atlético-MG. O Galo estava invicto na competição e faria o jogo final (partida única), em sua casa, no Mineirão. O Tricolor levou a decisão para os pênaltis, e após começar perder os dois primeiros, o São Paulo contornou a situação e conquistou o título.

Para esta quarta, o Tricolor precisa derrotar o Galo por dois ou mais gols no placar se quiser avançar às quartas de finais da Liberta. Vitória são-paulina por 2 a 1 leva a partida para a disputa de pênaltis.
Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*