Hoje é o dia D para Ganso decidir seu futuro

Vinte e cinco dias depois, a novela envolvendo o nome do meia Paulo Henrique Ganso está bem próximo do fim. Os dois times mais interessados em contratar o jogador, São Paulo e Grêmio, já mostraram até onde podem chegar, e as intensas reuniões agora dão lugar para as definições, para alívio de são-paulinos, gremistas e santistas.

O São Paulo externou de forma oficial duas propostas para o Santos, que recusou ambas. O Tricolor paulista cogitou inclusive em pagar os R$ 23,8 milhões pedidos pelos dirigentes do Peixe pelos 45% dos direitos econômicos que possuem do jogador, mas a negociação não evoluiu na rapidez necessária para evitar o assédio de outros times.

Neste contexto, surgiu o Grêmio. No início, o interesse gremista parecia uma forma de tumultuar a negociação e deixar o São Paulo pressionado, mas nesta quinta-feira a reunião com a DIS (fundo detentor dos outros 55% dos direitos de Ganso) deixou o Tricolor gaúcho em pé de igualdade da negociação.

Os dirigentes do clube do sul do país mudaram o discurso e passaram a exibir confiança no êxito da negociação. Ganso viria para o Grêmio com o apoio de empresas parceiras do clube e da OAS (parceira na construção da Arena).  Os mesmos investidores já tentaram trazer Ronaldinho Gaúcho e Giuliano, mas ambas as negociações foram fracassadas. O fato é que a tão falada prioridade do São Paulo para contratar Ganso acabou. Pelo menos visão dos gremistas.

“O presidente Paulo Odone pilota o processo. O que nós podíamos fazer, já fizemos, que era a aproximação e encontro com o profissional. Agora estamos na engenharia financeira da contratação, que é muito difícil. Mas aqui sempre agimos de forma transparente com o torcedor. Não fizemos loucura. Conversamos com o atleta e seus procuradores. Os números são compatíveis com o Grêmio, viáveis. Temos que encontrar a solução para encaixar algumas peças neste quebra-cabeça. Os números estão acertados. Faltam detalhes”, disse Paulo Pelaipe, diretor executivo de futebol do Grêmio, após a vitória desta quinta contra o Náutico.

Além de acertado com a DIS, o Grêmio já tem um acordo com o Santos. O próprio presidente do clube paulista, Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro, externou publicamente que prefere ver Ganso no sul do país do que em um dos maiores rivais santistas. Mas para o Tricolor gaúcho, o que ainda emperra é a vontade do jogador em vestir a camisa do São Paulo.

O São Paulo negocia com a DIS como poderá pagar os R$ 23,8 milhões pedidos pelo Santos por Ganso. Não é descartada uma ajuda financeira do fundo, já que o seu dono, Delcir Sonda, é torcedor declarado do Inter, arquirrival do Grêmio. O diretor de futebol do time paulista, Adalberto Baptista, ganhou carta branca para intermediar as negociações. Ele aposta no poder de sedução ao jogador. Até a camisa 8 (usada pelo seu ídolo Kaká) foi reservada para o meia santista, que se encantou com a possibilidade de jogar num clube com a estrutura do Tricolor paulista.

No Grêmio, a negociação ganhou proporções maiores pelos fatores políticos que a envolvem. O atual comando gremista, casualmente ou não, passou a admitir publicamente a negociação logo depois de Fábio Koff [candidato à presidência pela oposição] garantir que tem um ‘reforço misterioso’ já contratado para caso vença o pleito. A eleição ocorre, em primeiro turno, em setembro. Concretizando a compra de Ganso, Odone [que concorre à reeleição] amplia o apoio popular, já que em segundo turno a disputa presidencial gremista terá participação dos associados.

No São Paulo, Ganso também pode ser ‘cabo eleitoral’. O presidente Juvenal Juvêncio precisa de um fator extra-campo que faça o torcedor esquecer o desempenho cambaleante do clube no atual Brasileirão. Contratar Ganso cairia como uma luva nesse contexto. Mas perder o jogador para o Grêmio irá gerar uma cobrança ainda maior no mandatário, que articula para escolher um sucessor para as eleições de 2014. O São Paulo pode até ver o camisa 10 santista migrar para o rival gaúcho. Mas irá brigar até o fim.

4 comentários em “Hoje é o dia D para Ganso decidir seu futuro

  1. Paulo Pontes, por que o Grêmio tem dinheiro, o Inter tem dinheiro, o Atlético MG tem dinheiro, o Fluminense tem dinheiro para contratações e pagar bons salários e o São Paulo não tem?
    Onde estão os nossos arrogantes dirigentes que não conseguem investidores para o nosso clube?
    Está claro pela campanha que investir em bons jogadores rende bons frutos, tanto que todos esses clubes citados estão na nossa frente.
    Onde sta o exemplo de administração que era o São Paulo?

  2. Paulo, por acaso aquela sua notícia no “Alguém me disse” pode ainda valer, pois naquele momento o Grêmio ainda não estava na jogada, mas ao que parece eles vieram forte pra contratar o Ganso. Não sei se você costuma responder os comentários aqui no site, mas gostaria de uma resposta. Antes de criticar ou elogiar a diretoria gostaria de saber se você tem mais alguma informação a respeito dessa novela.
    Forte abraço.

    • Renato, bom dia, respondo aqui sim. Naquele momento não existia o Grêmio e até onde sei agora, às 11h23, é que os gaúchos conseguiram embolar tudo. A própria DIS, que tinha preferência pelo São Paulo, recuou e já admite vender para o Grêmio, até porque eles estariam dispostos a pagar a multa integralmente, ou seja, quase 55 milhões. Então estamos, agora, na dependência única e exclusiva do Ganso, que permanece querendo vir para o São Paulo. Mas a decisão não deve passar da tarde de hoje.

      • Obrigado pela resposta Paulo, é uma pena perder um grande jogador como o Ganso, mas fica muito difícil brigar com o Grêmio depois dessa proposta. Vamos esperar que a vontade do jogador prevaleça.
        Forte abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*