Grito preso: São Paulo não consegue marcar um gol há dez horas

Os almanaques que registram a história do São Paulo precisarão de atualizações depois da temporada 2013. Após a derrota por 1 a 0 para o Milan, em Munique, o Tricolor igualou mais um recorde negativo. O time chegou a nada menos do que seis partidas seguidas sem fazer gols. O último foi o segundo na derrota por 3 a 2 para o Vitória, dia 14 de julho, em Salvador, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Rogério Ceni marcou aos 35 minutos do primeiro tempo. De lá para cá, são 595 minutos sem balançar as redes. São praticamente dez horas de bola rolando sem um grito de gol são-paulino.

A última vez que o time passou seis partidas consecutivas sem marcar foi em 1936. Naquela ocasião, as redes adversárias não foram balançadas entre os dias 25 de abril e 28 de junho. A equipe perdeu para Santos (0 a 2), São Paulo Railway (0 a 1), Estudantes (0 a 1), Albion (0 a 1), Juventus (0 a 1) e Rio Preto (0 a 1).

Paulo Autuori (Foto: Site Oficial / saopaulofc.net)Autuori passa instruções, mas está difícil o ataque deslanchar (Foto: Site Oficial / saopaulofc.net)

Desta vez, os números só fizeram crescer a sequência negativa de resultados – 14 partidas sem vencer. O Tricolor passou em branco contra Corinthians (0 a 2), Cruzeiro (0 a 3), Internacional (0 a 1), Timão outra vez (0 a 0), Bayern de Munique (0 a 2) e agora o Milan (0 a 1).

Apesar da seca, o técnico Paulo Autuori não culpa apenas os atacantes. Segundo ele, os jogadores responsáveis pela armação no meio de campo também precisam cooperar para que o jejum acabe. Ganso e Jadson, aliás, não vivem bom momento.

– A bola precisa chegar até a frente. Precisamos parar de tocar tanto, tanto e muito para trás. A projeção dos meias sem a bola sempre foi um ponto forte do futebol brasileiro. Agora, os meias precisam voltar para pegar a bola porque os volantes perderam qualidade – disse Autuori.

O momento dos atacantes é um reflexo dos resultados. A dupla considerada titular também vive uma crise. Luis Fabiano não marca desde 12 de junho, no empate por 1 a 1 contra o Grêmio, em Porto Alegre. Lesionado, ele não viajou com a delegação para a Europa.

Já Aloísio não consegue engrenar e vem perdendo boas oportunidades nas últimas partidas, como aconteceu diante do Milan. Silvinho, contratado após se destacar no Penapolense no Paulistão, e Ademilson, promessa das categorias de base, também estão longe de agradar.

O ano vem sendo de recordes negativos do São Paulo, mergulhado na crise dentro e fora de campo. O time quebrou a sequência histórica de 11 partidas sem vencer de 1951 e 1986. Depois, superou a marca de 1936 em que acumulou seis derrotas consecutivas (chegou a oito).

A delegação do São Paulo deixa a Alemanha nesta sexta-feira, rumo a Portugal, onde encara o Benfica, em Lisboa, em amistoso neste sábado.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.