Gilberto se diz triste, mas vê empate “de bom tamanho” para o Tricolor

Gilberto tinha tudo para sair de campo como o grande nome de mais uma vitória do São Paulo na noite deste sábado. O centroavante marcou o primeiro gol do Tricolor Paulista e deu a assistência para Thiago Mendes ampliar o placar em cima do Novorizontino. O problema é que a equipe da casa acabou buscando o empate no fim. De qualquer maneira, Gilberto não se deixou abater diante da frustração nesta sexta rodada do Campeonato Paulista.

“Nosso time não conseguiu aquilo que poderia fazer em um campo seco, mas, gostei, sim”, avaliou, ciente de que tem feito um bom trabalho na disputa por espaço com Lucas Pratto e Andres Chavez. “O Pratto e Chavez já mostraram que são muito bons, que sabem fazer gol. Eu tenho que entrar e procurar fazer gols para que eu possa continuar nessa caminhada”.

Dono de cinco gols na temporada, Gilberto preferiu reconhecer as qualidades do adversário na noite deste sábado a ficar buscando explicações para o empate depois do São Paulo ter aberto 2 a 0 de vantagem no placar.

Gilberto marcou um gol e deu assistência para outro do São Paulo neste sábado (Foto: Rubens Chiri/SPFC)
Gilberto marcou um gol e deu assistência para outro do São Paulo neste sábado (Foto: Rubens Chiri/SPFC)

“Eu acho que é um grupo, uma equipe, é o São Paulo. A gente tem que dar mérito ao Novorizontino, porque eles tiveram poder de ração. Queríamos a vitória, não conseguimos, mas o empate está de bom tamanho. A gente aceita, mas a gente queria a vitória”, disse, de certa forma confuso entre os sentimentos poucos minutos depois do fim da partida.

E como já virou rotina, o jogador, assim como tem acontecido com tantos outros, teve de falar sobre o desequilíbrio do time em campo. Agora são 17 gols marcados e 13 sofridos, o que garante ao São Paulo o melhor ataque do Estadual, mas também a segunda pior defesa. Gilberto, então, preferiu fazer mea-culpa a acusar seus companheiros de falhas.

“A gente está triste, a equipe no geral não gostou do resultado. A gente queria a vitória. Mas agora é trabalhar, corrigir. Eu também estou triste porque não marquei como marco nos outros jogos. Eu ajudo mais a marcar, mas o campo estava pesado e o ataque não estava conseguindo ir e vir rápido e repor na hora da saída deles. E isso estava facilitando um pouco eles. A gente poderia ter ajudado um pouco mais lá na frente e ia ajudar a defesa consequentemente”, concluiu o jogador.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*