Fora de sequência inédita, Lucão aconselha Lyanco antes de clássico

Juan Carlos Osorio não esconde de ninguém: o poderio ofensivo do Santos vai tirar seu sono até o clássico desta quata, na Vila Belmiro. Mas se as esperanças do técnico morarem no desempenho do São Paulo nos últimos jogos, Ricardo Oliveira e companhia terão de suar em dobro no duelo.

Nas últimas três rodadas do Brasileirão e em um duelo da Copa do Brasil, a defesa do Tricolor não foi vazada. A sequência de quatro jogos sem gols sofridos é inédita na temporada e supera duas séries de três partidas com Muricy Ramalho. E, curiosamente, a boa fase atual coincide com a crise gerida por Osorio no sistema defensivo.

Contra Joinville e Internacional, eram apenas dois zagueiros à disposição: Lyanco e Edson Silva. Mesmo com as ausências de Rodrigo Caio, Lucão, Breno e Luiz Eduardo, a zaga correspondeu e ajudou o São Paulo a voltar ao G4.

Fora devido a lesão no calcanhar direito, Lucão não se incomoda com o crescimento de concorrentes da posição. A expectativa do camisa 30, porém, é não perder mais tempo para voltar aos treinos e reconquistar espaço no time.

– Recuperar espaço vai acontecer naturalmente. Meu foco ainda está na recuperação. Mas volto a treinar e espero estar logo pronto para ajudar o time, estar preparado para quando a oportunidade surgir novamente, dar conta do recado e conquistar meu espaço de novo. A briga é sempre boa e a gente se respeita demais, querendo o melhor do time – ressaltou o defensor

Com dois anos de profissional nas costas, Lucão acredita que pode ajudar também fora de campo. O beque se dispõe a orientar Lyanco, menos de dois anos mais jovem, a fugir da ansiedade que ainda o acomete antes dos jogos no Tricolor.

– O Lyanco é um menino muito bom, um menino humilde. Tem boa cabeça e sabe daquilo que quer pra vida dele. O conselho que eu dou é que ele continue da forma como está, jogando bem, de forma simples. Fora de campo, principalmente, é ter cabeça boa. Não deixar subir pra cabeça porque ele tem um futuro muito grande. E a gente espera isso dele. Não só eu, como toda a comissão técnica e os jogadores – elogiou.

Confira entrevista exclusiva com Lucão? 

Imaginou que a entrada do Guerrero fosse causar uma lesão?
Quando eu levei a entrada dele (derrota para o Flamengo no dia 23 de agosto) não achei que ia ficar todo esse tempo… São duas semanas no Reffis. Na hora doeu um pouco, mas achei que não foi nada grave. Achei que em dois ou três dias já voltaria, mas depois fiz o exame e vi que precisava ficar mais tempo. Não tinha muito o que fazer, tinha que tratar. O time estava numa situação difícil, delicada, mas tive que tratar e tentei ajudar para que isso fosse o mais rápido possível. A pior coisa pra quem joga futebol é estar de fora e doido para ajudar o time. Foram muitos problemas que todos enfrentamos e conseguimos nos sair muito bem.

Ter sido cortado da Seleção Olímpica te magoou? Pode atrapalhar em convocações futuras?
O corte da Seleção Olímpica não pesou, não me magoou. A lesão faz parte do risco no nosso trabalho e estamos sujeito a isso o tempo todo. Fiquei triste é lógico por não ter ido, mas eu creio que não vai atrapalhar em nada em futuras convocações. É só continuar mostrando meu futebol que as convocações acontecem naturalmente.

O que tem aprendido com Osorio e Rogério Ceni no dia a dia?
O principal de tudo em relação a Rogério Ceni e Osorio é a experiência e o conhecimento. A experiência que os dois têm no meio do futebol é muito importante para a gente. Poder estar no dia a dia ali, ver os dois trabalhando, saber da história, saber aquilo que eles já passaram, aquilo o que eles já conquistaram na vida é um aprendizado muito grande pra nós. É muito importante aprender com eles e aproveitar esse conhecimento que eles têm de futebol, principalmente porque somos jovens.

Já tinha visto tantos desfalques em uma só posição e de uma vez?
Nunca tinha visto assim desfalques demais num setor só como agora, mas acontece. A gente está sujeito a isso, não tem jeito. A gente não espera que sejam tantos atletas assim lesionados ao mesmo tempo, mas aconteceu. Agora é recuperar e torcer pra isso não acontecer novamente. Achei que meus companheiros foram bem. Fizeram bons jogos e eu espero que o time continue bem. Se futuramente quem entrar, seja eu ou qualquer outro companheiro de defesa, a gente possa dar continuidade e dar conta do recado.

Fonte: Lance

5 comentários em “Fora de sequência inédita, Lucão aconselha Lyanco antes de clássico

  1. Ta aí como pode enganar tanta gente esse cara, muito lento não joga metade do Lyanco, se fosse o Lucão fazendo a cobertura do edson silva contra o inter nos lances do Lisandro e do valdivia iam ter espaço pra driblar o renan e fazer o gol, o Lyanco saiu atrás e chegou junto na finalização atrapalhando os atacantes, é só rever os lances.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*