Em sete meses, Denis fez mais defesas que Rogério e sofreu mais gols em média

Logo no começo do ano, Rogério Ceni se machucou durante um treino, teve que fazer uma cirurgia no ombro e abriu espaço para Denis assumir a meta são-paulina. O ídolo da torcida se recuperou e pode voltar a ser titular domingo contra o Flamengo.

Nos sete meses à frente do gol tricolor, Denis teve números de desempenho bem parecidos com os de Rogério. Mas o substituto teve de trabalhar mais que o ídolo. Fez mais defesa por partida e sofreu mais gols em média, contando com os quatro tentos diante do Atlético-GO nesta quarta-feira. Segundo levantamentos do Datafolha, no Paulista e no Brasileiro de 2011, Rogério fazia 3,4 defesas em média por partida. Nos campeonatos de 2012, Denis fez mais: 3,8 interceptações em cada duelo.

Mesmo trabalhando mais, Denis foi mais vazado por jogo. Sua média de tento tomado é de 1,2 por partida. A de Ceni, em 2011, é ligeiramente menor: 1,1. Durante os últimos sete meses, Denis ganhou a confiança da torcida e do time, mas falhou em momentos capitais, como nas semifinais do Paulista, contra o Santos. Em pleno Morumbi, ele aceitou um chute despretensioso de Neymar e praticamente sepultou as chances do São Paulo chegar à final.

Foi uma falha parecida com a da última partida, quando Denis não conseguiu interromper uma cabeçada que resultou no primeiro gol do Atlético-GO.

“Esses sete meses foram importantes demais para a minha carreira”, afirmou o goleiro já em tom de despedida do time titular. “Fico feliz porque pude mostrar meu trabalho para todos, não só no clube, mas para os torcedores também.” Rogério voltou a treinar com bola e com o resto do elenco na última semana. Durante um rachão, fez inclusive gol de falta.

O maior número de tentos sofridos durante o período em que Denis foi titular tem relação também com as turbulências sofridas pela zaga do time. Desde o começo do ano, quatro jogadores já passaram pela dupla de zaga, mas nem Rhodolfo, Rafael Toloi, Paulo Miranda ou Edson Silva dão segurança absoluta ao time e à torcida.

Um índice medido pelo Datafolha ajuda a dimensionar como Rogério Ceni era o grande porto seguro da defesa tricolor. Quando ele está em campo, o São Paulo tem média de recuo de bolas ao goleiro duas vezes maior do que quando é Denis o titular (6 x 3). Quando a marcação aperta, os defensores do São Paulo confia na habilidade com a bola nos pés de Rogério.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*