Dois amarelos e goleiro na súmula: os 35 dias de Lugano sem jogar

Lugano é uma das opções de Dorival Júnior para o lugar de Rodrigo Caio, suspenso, e, se entrar em campo contra o Bahia, neste domingo, encerrará um período de 35 dias sem jogar. Mas, desde sua última atuação, em 2 de julho, o uruguaio acumulou cartões, cumpriu suspensão e até virou goleiro.

O uruguaio jogou pela última vez na derrota por 2 a 0 para o Flamengo, no Rio de Janeiro, em jogo que marcou o fim da passagem de Rogério Ceni como técnico do clube e que colocou o time pela primeira vez na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Desde então, ele chegou a ficar fora até do banco, por conta do limite de estrangeiros permitido pela CBF.

Ainda assim, o zagueiro acumulou histórias curiosos, principalmente diante do Vasco. Na súmula da vitória por 1 a 0, em 19 de julho, no Morumbi, por um equívoco da arbitragem, Lugano aparece marcado como goleiro reserva. Aos 35 minutos do segundo tempo, o camisa 5 ainda levou cartão amarelo por ter reclamado de decisões do juiz enquanto se aquecia atrás de um dos gols.

Naquele momento, o uruguaio tinha dois amarelos e, com a terceira advertência, teve de cumprir suspensão diante do Grêmio, na rodada seguinte. Por decisão de Dorival Júnior, voltou ao banco somente na última quinta-feira, na derrota para o Coritiba, e levou cartão novamente, depois do apito final, por ter ido reclamar com o árbitro no Morumbi.

As advertências mostram que o ídolo segue preocupado com a situação do time, mesmo sem estar nem garantido no banco. No último mês, o elenco passou a contar com seis estrangeiros – além de Lugano, tem o peruano Cueva, o equatoriano Arbioleda e os argentinos Buffarini, Jonatan Gomez e Pratto. Com isso, ao menos um não pode ser relacionados por jogo. Assim, Lugano foi reserva contra Santos, Vasco e Coritiba e ficou fora diante de Atlético-GO, Chapecoense, Grêmio e Botafogo.

A regra específica da CBF para estrangeiros tem sido a única explicação para Dorival Júnior não relacionar Lugano. O camisa 5 é frequentemente elogiado pelos companheiros e tem treinado normalmente, inclusive com apoio do técnico. Por isso, é uma das principais alternativas à suspensão de Rodrigo Caio neste domingo, embora Éder Militão seja o favorito.

Caso enfrente o Bahia, Lugano fará apenas sua segunda partida após acertar a renovação de seu contrato, em 26 de junho, até o fim do ano. Desde então, ele só atuou contra o Flamengo, em 2 de julho, quando Arboleda ainda não estava regularizado. O uruguaio jogou em apenas 11 partidas das 44 do clube no ano e entrar poucas vezes em campo foi um dos argumentos dos aliados do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, para que seu vínculo não fosse estendido.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*