Dirigente do Santos acusa São Paulo de falta de ética no fim da “novela Ganso”

Ao que parece, a relação entre São Paulo e Santos após a conclusão da transferência de Paulo Henrique Ganso para o clube da capital. Neste sábado, Pedro Luis Conceição, membro do Comitê Gestor do Santos, acusou o São Paulo de falta de ética nos “capítulos finais da novela”.

Segundo o dirigente, um dos responsáveis por conduzir as negociações por parte da equipe da Baixada, o “ponto alto” da falta de ética foi o fato de o São Paulo ter tirado fotos do jogador com a camisa do novo clube na tarde de quinta-feira, antes mesmo dos contratos de rescisão e do vínculo com o São Paulo ser assinado.

“O ponto máximo ocorreu imediatamente após a negociação ser concluída. Por volta das 2h, quando o Paulo Henrique assinava o distrato e o contrato com o São Paulo, a negociação estava sacramentada. Imediatamente, nosso pessoal acessou a página na internet do São Paulo, e já tinha fotos do nosso ex-jogador com a camisa do novo clube, ao lado de dirigente do novo clube, e declarações sobre o São Paulo. Mas cada um tem  uma visão do que é ético ou não”, declarou Pedro Luis, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Pouco depois, João Paulo de Jesus Lopes, diretor de futebol da equipe da capital, entrou ao vivo na mesma rádio para defender o São Paulo. De acordo com o dirigente, não houve falta de ética, já que quando as fotos foram feitas, a negociação estava sacramentada e faltavam apenas as formalizações, que ocorreram, de fato, no início da madrugada de sexta-feira.

“O São Paulo só tirou as fotografias, e as manteve sigilosas, no instante em que entendia que o negócio estava fechado. O que ocorreu na madrugada foram apenas formalizações. O negócio estava fechado, já havia definição que ele era do São Paulo. E só divulgamos no site após a concretização. Houve um equívoco do Dr. Pedro”, defendeu-se Jesus Lopes.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*