Diretor promete zerar dívida bancária até final de 2019

O diretor Financeiro do São Paulo, Elias Albarello, prometeu que o São Paulo vai zerar a dívida bancária até final de 2019. Em entrevista coletiva nesta terça-feira fazendo o balanço de um ano de gestão, o executivo disse que hoje a dívida bancária está em R$ 45 milhões e dívida total, descontada a parcela equacionada do Profut, na casa dos R$ 90 milhões.

A dívida total do São paulo em dezembro de 2015, segundo auditoria da Pricewaterhouse Coopers, era de R$ 247 milhões. Desse montante, R$ 77 milhões relacionados a débitos tributários e que acabaram equacionados com a entrada do São Paulo no Profut. Sobraram R$ 170 milhões em dívidas.

Comparando com o balanço referente ao ano de 2015, a mudança foi muito grande. Naquele ano o São Paulo apresentou déficit de R$ 72 milhões. Em 2016 começou a recuperação e o clube encerrou o período com superávit de R$ 1 milhão. Em 2017 o superavit foi de R$ 15 milhões.

Elias Albarello disse que a venda de jogadores, principalmente as realizadas ano passado, contribuíram com o superavit, mas não fora preponderantes, pois são valores que entrarão nos cofres do São Paulo parceladamente, durante três anos, graças ao “fair play” europeu. Mas ele lembrou que este ano também foi gasto muito dinheiro com a chegada de jogadores. Da mesma forma, esses pagamentos são parcelados.

De acordo com o diretor, é errado afirmar que o goleiro Jean custou R$ 10 milhões. Houve uma interpretação errada de quem leu e deu notícias sobre o contrato. O valor acordado e pago foi de R$ 6 milhões. Para chegar aos R$ 10 milhões, há a necessidade do cumprimento de algumas cláusulas de desempenho. Pelo tempo que ele está na reserva, essas metas já não serão atingidas esse ano e o valor ficará no inicialmente pago.

Albarello reconheceu, assim como o presidente Leco, que ainda esse ano será necessária a venda de um ou outro jogador para cobrir as despesas. Mas garantiu que em 2019 o futebol já será autossuficiente e não haverá mais a necessidade de venda de jogadores. E deu mais um detalhe importante: ” com a recuperação financeira que o São Paulo teve, os juros bancários, que estavam em 1,82% ao mês caíram para 1,10%, uma redução bastante considerável”.

 

Paulo Pontes

4 comentários em “Diretor promete zerar dívida bancária até final de 2019

  1. Tenho muitas restrições e críticas a gestão de LECO, muitos acertos políticos, escolhas duvidosas, contratações e vendas fora de um critério mais específico, declarações estapafúrdias…..mas nada perto do que foi a gestão tenebrosa, nociva e patética de Carlos Miguel Aidar, esse sim deveria ser expulso do clube.

    Mas reconheço que vem lutando para diminuir os problemas financeiros, tem recuperado a credibilidade da marca SPFC e tem cuidado da estrutura do clube. Sei que é pouco perto do que realmente a grandiosidade do Tricolor do Morumbi merece, mas mesmo assim estamos saindo de um dos atoleiros em que foi jogado.

    PS.: Desculpem pelo erro abaixo, o comentário saiu com o nome trocado.

    • Thal Caló,

      não se esqueça que “Le Cocô” é um dos responsáveis pelas dívidas. Ele está apenas limpando a caca que ele mesmo fez. Não é digno de elogios.

  2. Tenho muitas restrições e críticas a gestão de LECO, muitos acertos políticos, escolhas duvidosas, contratações e vendas fora de um critério mais específico, declarações estapafúrdias…..mas nada perto do que foi a gestão tenebrosa, nociva e patética de Carlos Miguel Aidar, esse sim deveria ser expulso do clube.

    Mas reconheço que vem lutando para diminuir os problemas financeiros, tem recuperado a credibilidade da marca SPFC e tem cuidado da estrutura do clube. Sei que é pouco perto do que realmente a grandiosidade do Tricolor do Morumbi merece, mas mesmo assim estamos saindo de um dos atoleiros em que foi jogado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*