Destaque no site da Fifa, Jadson tem última chance para agradar Felipão

Pouco antes de enfrentar o Atlético-MG, pelas oitavas de final da Taça Libertadores, Jadsonganhou destaque no site da Fifa. Uma das principais esperanças da torcida são-paulina no duelo desta quarta-feira, o meia falou sobre a passagem pelo Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, os problemas de adaptação em seu retorno ao Brasil, e, principalmente, em como a partida decisiva em Belo Horizonte pode lhe ajudar a garantir uma vaga na Copa das Confederações. Na próxima terça-feira, 14 de maio, o técnico Luiz Felipe Scolari divulgará o nome dos convocados para o último torneio oficial antes da Copa do Mundo.

Foi justamente na capital mineira que Jadson pôde mostrar serviço diretamente para Felipão, durante o empate com o Chile, após ter deixado boa impressão na vitória sobre a Bolívia. Antes disso, ele já havia sido convocado por Mano Menezes, então técnico da seleção brasileira, para a disputa da Copa América, em 2011.

– Você fica ansioso, nas expectativa. O Felipão já falou que tem na lista na mente dele e estou esperando. Há muitos jogadores de qualidade, e eu tenho de mostrar muito mais aqui no São Paulo, dar sequência, porque ele está acompanhando tudo. Felizmente comecei bem a temporada e tive a oportunidade. Fiquei muito feliz de o Felipão ter reconhecido meu trabalho. Tentei chamar a atenção dele.

A última chance de Jadson chamar a atenção de Felipão será no jogo decisivo desta quarta-feira. Autor do gol do São Paulo na derrota por 2 a 1 no Morumbi, o camisa 10 quer brilhar para ajudar o time a reverter a boa vantagem do Galo e conquistar a classificação para as quartas de final da Taça Libertadores.

– Claro que vai ser um jogo difícil. O Atlético fez a melhor campanha na fase de grupos, mas nossa equipe já conseguiu sair de uma situação ruim. A gente tem de dar o nosso melhor, sem erros, para que possa tentar a classificação – declarou o jogador.

Jadson está acostumado ao clima de decisão. Em sete anos na Ucrânia, ele conquistou nove títulos, sendo um deles o da Copa da UEFA de 2008/09, quando marcou o gol do título na prorrogação. Apesar da trajetória vitoriosa no leste europeu, o site da Fifa recorda que o meia teve problemas de adaptação ao voltar ao Brasil e precisou driblar a desconfiança da torcida são-paulina até virar um dos principais nomes do time de Ney Franco.

– Lá eu consegui vários títulos, mas a visibilidade não era muito boa. Um dos motivos para eu voltar foi para ter esse chamariz, num clube de primeira o Brasil e no mundo. Quando cheguei, criou-se uma expectativa muito grande, e claro que há sempre a pressão. Mas acho que minha contratação pelo São Paulo foi de peso, foi boa. Com o tempo, fui ganhando a confiança deles – finalizou o camisa 10 tricolor.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*