Igor Gomes diz entender opção de Cuca por deixá-lo no banco

Destaque do São Paulo nas fases decisivas do Campeonato Paulista, onde chegou a marcar dois gols diante do Ituano em seu primeiro jogo como titular, Igor Gomes perdeu espaço com a chegada do técnico Cuca e de outros concorrentes para o setor de meio-campo, como Tchê Tchê e Vitor Bueno.

Desde a decisão do Estadual diante do Corinthians, o meia revelado em Cotia iniciou a partida contra o Botafogo, mas ficou no banco diante de Goiás, Flamengo, Fortaleza e contra o Bahia, todos pelo Brasileiro. No reencontro com Tricolor Baiano, na última quarta, em duelo da Copa do Brasil, Igor Gomes recebeu uma nova chance, porém, assim como boa parte da equipe, não foi bem.

Apesar da queda de prestígio dentro do elenco, o camisa 26 entende a decisão do técnico em deixá-lo entre os suplentes. “Se naquele momento ele achou que eu deveria ficar no banco, sem problema nenhum, respeito meus companheiros que dividem posição comigo, que são todos grandes jogadores. Então quando ele precisar de mim, eu tenho que entrar em campo e dar o meu melhor, é isso que sempre procuro fazer”, disse.

Integrado ao elenco profissional em 2018, Igor Gomes entrou nas duas últimas partidas do São Paulo no último ano. Nesta temporada, no entanto, o meia estreou como titular diante do Ituano pelas quartas do Paulista, logo de cara fez dois gols e se firmou na reta final da competição como titular.

“Não me abalei (com o banco de reservas), eu estou cavando meu espaço. Hoje eu falo que acabei de me efetivar como profissional. Respeito muito a opinião do Cuca, ele é o treinador, eu sei o meu papel. Quando ele precisar de mim, eu tenho que dar o melhor”, ressaltou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

3 comentários em “Igor Gomes diz entender opção de Cuca por deixá-lo no banco

  1. Não precisa ser muito entendido. Basta ver o VT do último jogo contra o Bahia e você vai entender porque é reserva. Vai ver você trombando com Pato mais de uma vez, pois não sabia em que posição do campo ficar, dando passe de calcanhar pra ninguém com o time perdendo… isso acaba com a paciência de qualquer um.

    • Tudo fruto de falta de jogo (entrosamento). O atleta tem grande potencial mas como no S.Paulo tudo é pra ontem, melhor seria se o emprestassem a algum bom time onde ele pudesse jogar. Só jogando seguidamente ele vai deixar de dar passes de calcanhar para ninguém…

      • Concordo que trombar com o Pato pode ser falta de entrosamento. Mas tentar passe de calcanhar aos 38 do 2° tempo com o time perdendo é falta de inteligência. Se ele pegasse a bola e tentasse um chute ao gol ou um drible e errasse, nem a torcida e nem o técnico pegariam no pé dele como nesse passe de calcanhar pra ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.