Destaque do Huachipato, brasileiro Arrué condena punição do Fabuloso

Um dos desfalques do São Paulo para a partida contra o Huachipato, nesta quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília), em Talcahuano, no Chile, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, é o atacante Luis Fabiano. Expulso no confronto de ida, no Morumbi, o jogador foi punido com três jogos de suspensão pelo Tribunal Disciplinar da Confederação Sul-Americana de futebol. O camisa 9 levou o cartão vermelho por ter acertado o volante Arrué, que curiosamente, saiu em defesa do Fabuloso, alegando que a pena foi muito pesada.

– Não concordo. O Luis Fabiano errou e sabe disso. Ele não me acertou com força, não foi uma agressão. A expulsão foi justa, mas acho que só o jogo da automática estava de bom tamanho. Sem dúvida, a ausência dele é um reforço para nós, já que todos sabem de sua capacidade – afirmou Arrue, em entrevista ao GloboEsporte.com logo após o treino realizado no campo localizado ao lado do estádio CAP, palco do confronto desta quarta.

O que pouca gente sabe é que Arrué é brasileiro. Nasceu em São Paulo e, aos três anos, se mudou com a família para o Chile. Ele se naturalizou chileno e já defendeu a seleção. Sobre a capital paulista, o jogador diz que não guarda nenhuma lembrança.

Arrue, volante do Huachipato (Foto: Marcelo Prado)Arrue nasceu em São Paulo e foi morar no Chile com três anos (Foto: Marcelo Prado)

– Não consigo nem te falar onde era a minha casa (risos). São Paulo é muito grande né? Eu tinha três anos quando meus pais vieram para cá por causa de uma oportunidade de trabalho. Hoje me considero chileno. Não aprendi a falar português, mas entendo perfeitamente a língua – ressaltou o jogador.

Outra curiosidade é que Arrué foi companheiro do atual técnico do Huachipato, Mario Salas, no Colo Colo, clube que o revelou para o futebol. Aos 17 anos, ele foi para os profissionais e dividia quarto na concentração com o atual técnico.

– Nossa relação é muito boa. Pessoas como ele ajudam bastante, acrescentam muito à minha carreira. Gosto de estar sempre aprendendo, me aperfeiçoando – disse.

Aos 37 anos, Arrué é uma espécie de Rogério Ceni do Huachipato. Em campo, fala o tempo todo. Controla o meio-campo. Marca, chega ao ataque e tem muita categoria nos lances de bola parada. No último treino antes da partida contra o São Paulo, foi um dos últimos a sair do campo. Prestes a completar 20 anos de carreira, ele é um dos poucos jogadores chilenos com passagens pelos três grandes clubes locais: Universidad de Chile, Universidad Catolica e Colo Colo. Diferentemente do são-paulino, aposentadoria ainda não está nos seus planos.

– Enquanto sentir que tenho condições de jogar em alto nível, não tem porque parar. Estou muito feliz no Huachipato, temos a chance de brigar por um título tão importante como o da Copa Sul-Americana. O São Paulo será um adversário duríssimo, mas confio nos meus companheiros, sei aonde podemos chegar. Para falar a verdade, merecíamos ter vencido já no Morumbi na ida, mas não soubemos aproveitar as chances – explicou.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*