Desconfiança em Dênis diminui, e maior problema do SP passa a ser o ataque

Melhor em campo do São Paulo nos últimos dois jogos (empate contra o Corinthians e derrota para o Grêmio), Dênis passa por um novo momento clube tricolor. Aos poucos, o goleiro que acumulou algumas falhas ao longo da temporada vem deixando a desconfiança de lado. Em contrapartida, o time, especialmente o setor de ataque, vive uma nova realidade.

Exceção feita à vitória por 3 a 0 sobre o lanterna América-MG, o São Paulo fez apenas um gol nos outros três jogos que disputou no Campeonato Brasileiro neste mês de julho: 1 a 0 para a Ponte Preta, 1 a 1 com o Corinthians e 1 a 0 para o Grêmio. Sinal de uma considerável mudança que o time sofreu em seu setor ofensivo: Calleri, Paulo Henrique Ganso e Alan Kardec deixaram o time, enquanto Ytalo se machucou. Kelvin, um dos destaques do time nesta temporada, voltou apenas no último domingo (entrou no segundo tempo) depois de se recuperar de uma lesão muscular.

Em contrapartida, os recém-chegados Cueva e Gilberto e até mesmo Centurión, que voltou a ser utilizado como titular, ainda tentam se adaptar ao esquema de Edgardo Bauza, que viu o setor ofensivo como principal problema do time no jogo do último domingo, contra o Grêmio – não criou sequer uma chance clara de gol durante os 90 minutos.

“Não tivemos claridade e não fomos precisos. O Grêmio pressionou, como já sabíamos. Defensivamente a equipe trabalhou muito bem, mas fica difícil conter uma outra equipe os 90 minutos quando não se consegue atacar”, disse Edgardo Bauza, que por outro lado gostou da atuação defensiva da equipe, que levou o único gol da partida aos 7min do segundo tempo.

“Nos defendíamos bem até o gol. Jogamos uma partida ruim, e quando se joga mal é difícil conseguir um bom resultado”, acrescentou o comandante tricolor.

O placar, aliás, só não foi mais amplo por causa de Dênis, que já havia sido o melhor em campo do São Paulo no clássico contra o Corinthians. Se antes ele era um dos principais alvos de desconfiança da torcida tricolor, o goleiro passou nas últimas rodadas a ser solução.

“Eu fiz o que eu pude para evitar todos os gols, consegui fazer boas defesas, então é continuar trabalhando. Infelizmente o resultado não veio”, lamentou Dênis após o jogo contra o Grêmio.

Aguardando os reforços de Andrés Chávez e Buffarini para a sequência da temporada, o São Paulo de Edgardo Bauza tem a semana inteira para trabalhar até o próximo confronto, marcado para o domingo, dia 31 de julho, no Morumbi, às 11h (de Brasília).

Fonte: Uol

5 comentários em “Desconfiança em Dênis diminui, e maior problema do SP passa a ser o ataque

  1. O maior problema do SP não é o ataque; é a forma do time jogar, o esquema tático preocupado em não tomar gols (pior que não passa um jogo que isto não aconteça). O problema do SP é o treinador que é muito ruim…

  2. Ser bom goleiro não é apenas defender debaixo da trave, tem outros fundamentos importantes, saber rebater, cortar cruzamentos dentro da pequena área, sair no pé do atacante fechando as brechas, orientar os zagueiros e assim vai. Considero o Denis bom apenas no primeiro item. Pode
    fazer varias defesas debaixo da trave mais fatalmente vai pecar em um dos outros itens.

  3. Nao tiro o merito do Denis nos dois ultimos jogos, mas ainda continua a insistir nao inspira confiança pois sempre vai soltar uma bola para o adversario fazer o gol tem sido sempre assim, sempre espalma para a area como ontem, uma pena que nosso melhor goleiro esta se recuperando a vaga seria dele sem nenhuma duvida o ruim é o Bauza enxergar isso ja que nao enxerga que Wesley e Centurion nao prestam para ser titulares, no maximo reservas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.