Denis reencontra rival do início de era como capitão no São Paulo

A partida das 19h30 deste sábado, pela sexta rodada do Campeonato Paulista, será simbólica para Denis. Além de voltar a ser titular no São Paulo, cumprindo revezamento dos goleiros feito por Rogério Ceni, o camisa 1 reencontrará rival que marcou início de uma – curta – era no clube. Foi contra o Novorizontino, em 2016, que o arqueiro tornou-se capitão da equipe.

– Estou bem e tranquilo. Tenho trabalhado firme para ajudar a equipe. O Rogério conversou comigo na semana passada, antes do jogo contra o São Bento, e falou sobre a programação. E desde então tenho me preparado de olho no jogo de sábado (25). Quero entrar e fazer o meu melhor para conquistar o meu espaço – projetou.

Na temporada passada, o primeiro dono da braçadeira foi o meia Michel Bastos, hoje no Palmeiras e que perdeu o posto após críticas da torcida e problemas internos no elenco. O então técnico Edgardo Bauza decidiu passar a faixa para Denis, que a vestiu por 19 jogos, começando por vitória por 2 a 0 sobre o Novorizontino, no Pacaembu.

– Será um jogo difícil, fora de casa e contra uma equipe que tem bom toque de bola. Já tenho estudado o adversário e temos mais um dia de preparação para melhorar algumas coisas e partir em busca da vitória. Temos que saber aproveitar os espaços para atacar – analisou.

A meta atual de Denis é recuperar a prioridade diante de Ceni, que escalou Sidão como titular em cinco das oito partidas no ano. O trunfo do camisa 1 é o período sem sofrer gols que já dura cinco partidas – mas apenas uma completa, na vitória por 1 a 0 sobre o Moto Club, pela Copa do Brasil – ou 347 minutos. Além de Sidão, que será poupado da viagem a Novo Horizonte, Renan Ribeiro também está na disputa após lesão muscular.

– Todos têm treinado em alto nível, porque um puxa o outro e isso eleva o nível dos goleiros. Quem não fizer isso fica para trás. Por isso tenho treinado firme para fazer o meu melhor, porque a disputa é sadia. Nos treinos, a gente tenta mostrar que tem condições de jogar e buscar o espaço, e quem ganha com isso é o São Paulo que tem goleiros prontos para atuar. Vou trabalhar para tentar sair de campo sem sofrer gols e, assim, ajudar os meus companheiros – disse.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*