Defesa são-paulina tem resistido apesar de mudar em todos os jogos

– Seja quem for o escolhido, o time estará bem servido.

– Qualquer esquema não depende da entrada dos jogadores.

As declarações acima já saem automaticamente da boca dos jogadores de futebol, mas quando um defensor do São Paulo diz algo semelhante, pode-se levar a sério. A defesa pode até não ser a dos sonhos de ninguém, mas as últimas semanas têm exigido bastante do setor, que tem conseguido se manter resistente.

Nos últimos seis jogos do Campeonato Brasileiro, Ney Franco escalou seis formações diferentes na linha de defesa. Algumas por opção do treinador, outras por necessidade. E, em seis jogos, a equipe sofreu apenas quatro gols. O que garante uma média muito melhor do que a de todo o torneio (0,6 gol sofrido nos últimos seis jogos contra 1,07 no Brasileirão).

Para o clássico do próximo sábado, contra o Palmeiras, no Morumbi, existe a possibilidade de uma nova formação ser colocada em campo. Como Rhodolfo está suspenso, Edson Silva e Douglas disputam a posição. Dependendo do escolhido, Paulo Miranda atuará ou na lateral ou na defesa, ao lado de Rafael Toloi.

Os que forem escalados terão pela frente o segundo pior ataque do Brasileirão (28 gols). No entanto, o rival está embalado desde a chegada do técnico Gilson Kleina e, nos últimos três jogos, marcou nove gols.

É claro que Ney Franco preferiria ter tido a chance de repetir a escalação preferida em todas as partidas, mas cartões e lesões o impediram. Apesar da melhora da defesa, os resultados das partidas não foram o esperado pela comissão (duas vitórias, três empates e uma derrota).

Antes dos últimos clássicos, os discursos sobre a bola parada de Marcos Assunção não deram resultado. Agora, mesmo com a rotatividade, os zagueiros têm falado a mesma língua em campo.

As últimas seis formações utilizadas:

Internacional
Contra o Internacional, no Morumbi, a linha de defesa foi formada com Douglas, Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez. O time sofreu pelo lado direito com ataques da equipe Colorada. Placar: 1 a 1.

Santos
No clássico na Vila, Ney Franco optou por atuar com três zagueiros. Paulo Miranda, Rhodolfo e Rafael Toloi jogaram na zaga. Cortez e Douglas nas alas. O San-São terminou 0 a 0.

Atlético-MG
Douglas, Paulo Miranda, Rafael Toloi e Cortez. Assim a equipe entrou para encarar o Galo, no Independência. Logo no início da partida, Douglas foi expulso e a defesa teve de ser mudada. Derrota por 1 a 0.

Portuguesa
Contra a Lusa, Wellington foi escolhido para atuar na lateral direita, já que Douglas estava suspenso. Rafael Toloi, Rhodolfo e Cortez completaram o setor. Vitória tricolor por 3 a 1, no Morumbi.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*