De volta, Wellington Nem pede mais uma semana para ficar 100%

A vitória do São Paulo sobre o PSTC na quarta foi importante não só pelo aspecto coletivo, já que valeu a classificação da equipe à terceira fase da Copa do Brasil, mas também foi marcante para Wellington Nem, atacante que acabou sofrendo um estiramento na coxa esquerda logo na estreia do Campeonato Paulista, contra o Osasco Audax, e voltou a atuar justamente no duelo em Londrina, no estádio do Café.

“Muito feliz de poder voltar, agradeço ao pessoal do departamento médico, que esteve duas semanas comigo de forma intensa, feliz por poder voltar, não senti nada. No final senti um pouco do cansaço, mas ainda temos quatro dias para trabalhar para o jogo do Santo André”, comentou jogador durante o desembarque do time no aeroporto de Congonhas, na tarde desta quinta.

Contra o time do ABC, Nem ainda não deve ser aproveitado durante toda a partida. Apesar da alegria por ter atuado sem restrição, o reforço tricolor para essa temporada admitiu que precisa de mais tempo de preparação física para suportar um jogo inteiro. Rogério Ceni o colocou em campo aos 21 minutos do segundo tempo em Londrina.

“Acho que (preciso de) mais uma semana. Esse jogo agora com o Santo André, talvez devo jogar, não sei o que o Rogério pensa, e depois tem o Palmeiras”, planejou, antes de falar sobre uma oportunidade clara que teve de marcar seu primeiro gol com a camisa do São Paulo no segundo tempo do duelo contra os paranaenses. “Tive uma chance, mas faltou um pouco de confiança, a bola veio na esquerda, tive que dominar para levar para a direita, mas acontece. Joguei, juntando os dois jogos, uns 50 minutos só, não tive muita chance. Acho que a chance (de marcar gol) vai aparecer”.

Desde a pré-temporada nos Estados Unidos, Wellington Nem vinha sendo o titular do ataque são-paulino. Com sua saída por causa da lesão, dia 5 de fevereiro, Luiz Araújo ganhou espaço, foi bem e se tornou em um grande concorrente. Mas, na visão de Nem, isso não é uma preocupação para ele.

“Não, perda de espaço não. Fiquei triste de machucar porque eu vinha treinando bem, jogando bem, já estava com o ritmo da pré-temporada e machucar logo no começo é muito ruim, né? Mas, graças a Deus eu recuperei rápido e fico feliz pelo Araújo, pelo grupo”, minimizou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*