De guarda baixa, Muricy será blindado até “decisão” na Argentina

A decisão da diretoria do São Paulo em não aceitar a oferta de Muricy Ramalho de entregar o cargo foi dividida. Ao mesmo tempo em que não enxergam no mercado uma opção que resolva os problemas do time em meio à reta final da fase de grupos da Copa Libertadores, os dirigentes estão preocupados com o abatimento do treinador depois de nova derrota em um grande jogo, desta vez para o Palmeiras.

Ao menos até o duelo de quarta-feira que vem, contra o San Lorenzo, ele seguirá com respaldo total do departamento de futebol para se concentrar apenas no trabalho do dia a dia. É possível, inclusive, que sua tradicional entrevista coletiva de sexta-feira seja cancelada, e algum jogador converse com a imprensa em seu lugar, na antevéspera do duelo com o Linense, pelo Campeonato Paulista.

O diagnóstico dos dirigentes é que a continuidade de Muricy, apesar da falta de identidade da equipe, é ainda a melhor opção no momento. Por isso, além de propagar a ideia de que ele tem grande importância e não pode sair “em hipótese alguma”, vão blindá-lo ao máximo. “Ele está desgastado”, reconheceu o vice-presidente de futebol do clube, Ataíde Gil Guerreiro, depois de longa reunião com o comandante do time, da qual também participaram o gerente executivo Gustavo Vieira e os auxiliares do treinador.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Muricy conta com respaldo da diretoria tricolor, ao menos, até decisão contra San Lorenzo na Argentina

A maior dificuldade para dar tranquilidade a ele e aos jogadores é o protesto agendado pela maior torcida uniformizada tricolor, que quer sua demissão e promete ir ao CT da Barra Funda na manhã deste sábado. Da última vez, Ataíde conseguiu alterar o local do treinamento e abriu os portões do Morumbi, fazendo com que a ação organizada não fosse tão próxima e perdesse força. Depois disso, a viagem à Argentina, na terça-feira, facilitará a blindagem do time. Uma derrota para o San Lorenzo, porém, colocaria tudo isso a perder novamente.

Fato é que o técnico tricampeão brasileiro pelo São Paulo (2006, 2007 e 2008) parece não encontrar soluções para reerguer o grupo que foi vice-campeão brasileiro na temporada passada. Um grupo que, a não ser pela saída de Kaká, só foi reforçado. “É verdade, contrataram jogadores que a gente precisava, principalmente os laterais”, admitiu, na quarta-feira, depois do revés no Palestra Itália.

“O Muricy é um excelente profissional, trabalhador. Tenho certeza de que vai encontrar o que fazer com o elenco, que reputo ser muito bom, para agradar à torcida. Ela ataca dirigente, com razão, o técnico, com razão, e temos que dar resposta. Não adianta retórica, querer agradar com palavras. Torcida só vai ficar satisfeita se ganharmos do San Lorenzo e, nas fases próximas do Paulista, derrubar Palmeiras, Corinthians e Santos”, alertou Ataíde.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

3 comentários em “De guarda baixa, Muricy será blindado até “decisão” na Argentina

  1. Agora não é hora de fazer protestos. Se Vc. se diz torcedor do SPFC, o melhor que tem a fazer é calar a boca e deixar a comissão técnica trabalhar. Por um time melhor, agora e sempre. Tudo na vida tem que ser feito com calma e tranquilidade. Vamos fazer nossa parte. Se não esta contente, não vá aos estádios, fique em casa, torça pela TV.

  2. Tai, porque o ST, na’o dekola,
    time ruim,
    trenero akomodado;
    ingresssos absurdamente karo,
    para o nivel atual do paulistinha
    e, principallmente amarelez nos classicos,
    juntando a kartolagem incopetente,
    na’o conseguem patrocinios
    muito menos uma garantia de futuro promissor
    com as tradico’es.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*