Cuca elogia São Paulo e esconde planos para Daniel Alves e Juanfran

O técnico do São Paulo, Cuca, celebrou a vitória de 3 a 2 sobre o Santos, neste sábado, no Morumbi, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o Tricolor foi a 24 pontos, na quinta posição, a oito do líder Santos, e com um jogo atrasado da 13ª rodada por fazer (contra o Athletico-PR, em Curitiba). Em entrevista, o treinador elogiou a postura de sua equipe, reclamou de vaias da torcida ao fim do primeiro tempo e disse que conta com Daniel Alves e Juanfran contra o Ceará, na próxima rodada.

Para Cuca, o São Paulo venceu “um jogão”. Ele disse que pretendeu escalar uma equipe com intensidade para fazer frente a um adversário que joga assim. O São Paulo começou o jogo com Everton e Toró como titulares e Hernanes no banco.

– Foi um jogo contra uma equipe de muita intensidade. Tendo alguns jogadores sem essa intensidade, não consigo marcar pressão. Escolhi os de intensidade um pouco maior. (…) Foram dois times que quiseram jogar. É difícil jogar contra o Santos. Tentamos marcar no ataque, pressionar para que eles tivessem o erro. Tem que enaltecer muito o jogo. É gostoso ver um clássico com cinco gols, com 34, 35 chutes a gol. Foi um jogão. Fomos melhores no segundo tempo, definimos melhor e conseguimos uma grande vitória – disse Cuca.

– É uma vitória contra a melhor equipe do campeonato, um time muito difícil, com jogadores exalando confiança, um excelente treinador. É uma vitória que dá confiança. A gente pode e deve evoluir – comentou.

Cuca, porém, se mostrou chateado com as vaias ao time no fim do primeiro tempo, quando o São Paulo perdia por 1 a 0.

– Não merecíamos sair vaiados no primeiro tempo. Quero enaltecer a presença dos torcedores. Mas não achei justa a vaia. Não jogamos mal. Jogamos igual. Tivemos confiança, junto com a fortuna de jogar o time mais na frente, ter uma saída de bola mais rápida. Concluímos bem, fizemos os gols. Uma pena o Hernanes ter saído (lesionado). Poderia ter mantido como estava ou segurar um pouco mais para ter o contra-ataque. O pessoal que entrou nos ajudou a vencer.

O treinador também disse que pretende utilizar Daniel Alves e Juanfran contra o Ceará, no domingo da semana que vem, no Morumbi.

– O Daniel entrou em dois treinos coletivos. Esperava, tinha a chance de aparecer no BID e vir para o jogo. Para domingo que vem, lógico, a ideia é contar com ele. O Juanfran da mesma forma.

Veja outros trechos da entrevista de Cuca:

Alexandre Pato

– Tenho confiança em todos. Temos tido muita paciência com o Pato. Hoje ele foi mais competitivo. Ele tem se doado bastante. Quando sai, é por opção minha. A técnica dele é indiscutível. Fez um grande trabalho, principalmente pelos dois gols.

Daniel Alves e Juanfran

– O plano que tenho para eles é segunda-feira começarem a treinar com todo mundo. Temos uma semana cheia para treinar e colocar as ideias em prática. Vou dividir as ideias com eles, não com a imprensa. Antes de falar sobre eles, temos que falar sobre o jogo que fez o Igor Vinicius, marcando o Soteldo, um diferencial do Santos. Marcou e foi um diferencial no ataque.

– Contagia. São jogadores importantíssimos. São exemplos. O Daniel é incrível. Foi o último a sair dos treinos quinta e sexta. Ele gosta de jogar futebol. É bom ter isso. Imagina o aprendizado para os mais novos com o Daniel e o Juanfran. Esses caras vão ajudar muito.

Campanha

– É um campeonato de regularidade. Ganhamos três seguidas. Domingo é o Ceará. É um jogo difícil. Temos que nos preparar bem e pensar jogo a jogo.

Mudanças com os reforços

– Muda em planos táticos. Adoro isso. Gosto muito de ter times versáteis, de mudar esquemas sem fazer trocas, e eles vão proporcionar isso. O Daniel joga na segunda linha pela direita, de segundo volante, na meia, e é o lateral da Seleção. O Juanfran já jogou de ala, zagueiro, lateral, segundo volante. Eles abrem o leque.

Sampaoli

– O cara vive o futebol. É uma honra enorme ter um profissional como ele nos confrontando. Ele usa dois, três, quatro esquemas diferentes por jogo. A gente fica pensando… É gostoso ter esses embates. Agora, graças a Deus, dá pra ter uma relaxada.

Esquema tático

Eu ia jogar com o Pato no 4-4-2, com o Everton na esquerda e o Toró na direita. A estratégia era de dois atacantes. Quando entra o Veríssimo na lateral direita, ele já jogou de lateral contra o Palmeiras, numa linha de quatro, e hoje também era. Abri o Pato na ponta, porque não teria tanto desgaste. Em cima disso, a gente mudou a forma de jogar. Tínhamos treinado duas ou três formas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.