Conversa tem cobrança moderada de Muricy e silêncio dos atletas

A reunião de aproximadamente meia hora entre Muricy Ramalho e o elenco do São Paulo, na manhã desta sexta-feira, véspera do duelo com o Audax, serviu para o técnico pedir uma mudança de comportamento aos jogadores depois da dura derrota para o Corinthians. No entanto, o tom da conversa, que contou com a presença do vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, foi bastante tranquilo.

Sempre elogioso ao aspecto disciplinar dos atletas que tem, Muricy cobrou principalmente que eles sejam mais ativos dentro de campo, que falem mais entre si ao longo dos 90 minutos. “Ninguém fala, eles são muito calados. Isso não é bom. Chamar a atenção do companheiro não quer dizer que está deixando o companheiro em roubada. Nosso time tem muitos bons jogadores, mas de pouco falar. Eles têm o grupo deles, que jogam bilhar e baralho, mas dentro de campo tem dificuldade”, disse.

“Tem que se cobrar para vencer. Amizade, companheirismo é legal, mas lá dentro somos profissionais. Quando alguém fala é para ajudar mesmo. Mas isso é muito das pessoas. É difícil querer formar um cara, isso nasce com a pessoa. Eu era um pouco assim quando jogava, por isso acho que virei treinador também. Mesmo garoto, era assim”, acrescentou.

Curioso é que, no jogo de quarta-feira especificamente, o comandante também pouco falou. Ao contrário do corintiano Tite, que ficou em pé praticamente o tempo todo, Muricy se levantou do banco de reservas em poucas ocasiões, na maioria delas para questionar a arbitragem. Mas não foi somente cobrança. “Dei força para os jogadores. Acontece, jogamos muito mal, mas ainda está no começo. Isso é importante acontecer agora”, contou.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Em seguida, treinador são-paulino armou o time que enfrentará o Audax, neste sábado, no retorno ao Morumbi

Ao final de seu discurso, nesta sexta-feira, ele passou a palavra para quem quisesse falar. “Sempre faço isso, mas hoje realmente ninguém quis falar. A gente sabe o que o jogador sente. Perder clássico, ainda mais como foi… Conheço bem eles”, falou o técnico, que viu apenas Ataíde Gil Guerreiro se manifestar. O dirigente fez considerações finais em menos de um minuto, e em seguida os jogadores foram liberados para o aquecimento.

A despeito das críticas de parte da torcida pelo revés por 2 a 0 no clássico, Muricy tem respaldo para seguir à frente da equipe. É o que tem assegurado o dirigente. “Ele é um parceiro, conheço há muitos anos. Veio para o futebol agora, mas já conhecia lá para trás. A gente se identifica muito, é parecido. Mas, no futebol, ainda mais para técnico brasileiro, só existe vitória. Ele é muito meu amigo, fala isso mais para me incentivar”, minimizou o treinador, em um raro momento em que se permitiu sorrir na entrevista.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

9 comentários em “Conversa tem cobrança moderada de Muricy e silêncio dos atletas

  1. Tá faltando garra…parece um time sem identidade sem alma…antes do jogo todos estavam respeitando muito os gambas…o SP perdeu esse jogo antes de jogar…gosto muito do Muricy, mas chega de improvisações, elas devem ocorrer somente quando não tiver jogador ou em jogos táticos para surpreender o adversário, mas nunca vejo isso.

  2. Esse jogo de amanha’ deveriam jogar os amarelos que ira’o jogar
    contra o Danubio, porque simplesmente ninguem jogou contra os travekos,
    Murici, finge que trabalha treinando biribol, rachoes ( com certeza hoje tera)
    e futvolei.
    Na’o tem essa de querer transferir incompetencias para jogadores
    que na’o foram treinados e preparados para essa competica’o.
    Murici, coloque simplesmente os melhores e na’o apadrinhe nenhum deles,
    principalmente os que vieram do rio.
    PEGADA, INTENSIDADE, TREINAMENTOS ESPECIFICOS INEXISTEM,
    apenas amarela’o e medalho’es incopetentes por tua culpa,
    voce os mimou demais e treinou pouco.

      • Talvez na’o se treinem essssses itens,
        apenas lembro enta’o, sa’o impostos, e exigidos
        ???? Por quem ???
        Fico puto quando vejo ainda comentarios dos jogos da LIbertadores
        na fox sports, principalmente, os karas chamarem o kara que fez o
        segundo gol de “rejeitado”, talvez tenha sido mesmo, era muito ruim aqui,
        agora temos gente ate querendo a cabeca do Ganso.
        ???? O que sera que acontece ???? hein ????
        Muitos va’o-se daqui, na’o jogam com nosso trenero e quando jogam
        contra no’s, e’ mesmo isso ai que se ve, e a imprensa, discaradamente
        zuando. Damos mesmo toda condicao para sermos zuados.
        Respeito o passado desse trenero, mas hoje otime e’ mesmo uma vergonha.
        No klassiko de santos deveriamos ter levado tinta se na’o fosse Ceni,
        contra as frangas deveria ser ao menos o dobro, alem de ter perdido pro
        tiemeko do rio.

        • Jogador que tem que ser lembrado o tempo todo que precisa se doar, nao serve pra jogar no SPFC. E brincadeira os caras entrarem como se tivessem comido uma feijoada. Muricy tem culpa sim, mas quem decide e quem esta dentro de campo. Se nao da na tecnica, vai na raca, sem precisar ficar sendo lembrado disso.

  3. o ganso nao vai jogar o proximo jogo, o boschilha arrebentou no ultimo pelo paulista,e advinha quem vai entrar no lugar do ganso?depois reclamam que a gente nao tem paciencia com o tecnico,eu apoio o muricy, mas acho que ele deveria ser mais coerente nas suas escalaçoes

  4. Acho que todos os profissionais que atuam no SP deveriam fazer um trabalho com algum psicólogo ou, até mesmo, um psiquiatra, para poderem enfrentar o Corinthians. Até o RC, no alto de sua fama e idade, parece tremer frente aos gambás; o Murici fica com cara de quem não sabe nem o que está fazendo ali, naquele momento. É muito estranho o comportamento de todos às vésperas desse clássico; e é o que mais nos machuca quando perde…

  5. O comportamento do Muricy durante o jogo foi, no mínimo, estranho. Por diversas vezes as câmeras da Sport TV fechou um close sobre ele e o que se viu, foi uma expressão apática, como se diz comumente, com cara de “paisagem”. Muito estranho para alguém que, sabemos, sempre foi vibrante e participativo. Ouso pensar que a prévia e irresponsável cobrança prévia do Presidente falastrão motivaram esse comportamento… talvez o tempo me prove o contrário, mas essa foi a impressão que tive.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*