Conscientização do elenco vira trunfo para Dorival antes de clássico

O São Paulo bateu o Flamengo no Pacaembu depois de um primeiro tempo convincente e uma etapa final segura na marcação. De quebra, o time se afastou da zona de rebaixamento. Prato cheio para os jogadores recuperarem o moral tão castigado depois da derrota para o Fluminense, no meio da semana. Mas, ao invés disso, os jogadores demonstraram uma conscientização muito grande quanto a necessidade da equipe parar de oscilar tanto e, enfim, vencer duas partidas seguidas no Campeonato Brasileiro. A última vez que isso aconteceu foi na série contra Avaí e Palmeiras, nas rodadas 2 e 3, respectivamente. De lá para cá foram sete oportunidades, todas sem sucesso.

“Não vou nem abordar a obrigação. Os jogadores que colocaram isso? É um fato importante. Não falaram sobre a vitória? Já é um segundo momento importante. Isso daí faz parte de uma preparação talvez um pouco diferente do que das rodadas anteriores. Eu vou computar isso como um fato positivo, respeitando muito nosso adversário, mas tentando fazer o nosso melhor e buscando um deslanche no campeonato. O que não vem sendo fácil e nós temos de reconhecer que em todos os momentos que tentamos, infelizmente acabaram não acontecendo”, comentou Dorival Júnior, surpreso com a postura de seus comandados.

O técnico são-paulino agora promete usar esse espírito na preparação para o clássico contra o Santos, no próximo sábado, de novo no Pacaembu. O fato do desafio não ser fora de casa também levanta ainda mais a esperança de colocar um ponto final nesse mini-tabu.

“O time sentiu bastante (a derrota para o Fluminense), porque entramos de uma maneira que não era para ter entrado, era um jogo chave, acabamos perdendo. Hoje (domingo) fizemos um grande jogo e conseguimos vencer. Mas nosso maior desafio é manter essa pegada aí”, ressaltou o meia Marcos Guilherme.

A meta está definida. Hernanes, que fez duras críticas à equipe tricolor no Maracanã, evitou se empolgar por causa do triunfo sobre o Flamengo e deixou claro que só após o clássico será possível avaliar se o São Paulo realmente mudou de patamar ou não.

“Nós fizemos isso semana passada, contra o Atlético-PR, em casa, fizemos um bom jogo e depois, no jogo subsequente, falhamos, erramos feio. Ainda não podemos dizer que a equipe amadureceu, não. Vamos ver nos próximos testes”, ponderou o Profeta, deixando claro que a reunião do time ainda no Reio de Janeiro encerrou o assunto.

“Não tem que falar nada, o que tinha que ser falado já foi falado. Não encontramos mais palavras no vocabulário. É nos prepararmos para o pior no jogo que vem e vamos ver se acontece algo diferente”, avisou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*