Concorrência de Pato e Toró faz Everton ter de se adaptar à nova realidade

Everton voltou a treinar com o restante do elenco do São Paulo nesta terça-feira após se recuperar de uma lesão de grau II no músculo da coxa direita, sofrida no empate sem gols com o Avaí, pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, no dia 8 de junho. Próximo de retornar aos gramados, o meia-atacante terá diversos desafios pela frente, um deles é reconquistar o status de titular absoluto do Tricolor.

Peça fundamental do São Paulo na campanha no Campeonato Brasileiro em 2018, quando o time chegou a liderar a competição por algumas rodadas e, inclusive, se sagrou campeão do primeiro turno, Everton vive hoje uma situação completamente diferente. Atrapalhado por lesões, o camisa 22 não conseguiu manter a toada em meio à troca de treinadores e agora precisará provar a Cuca que tem potencial para desbancar até mesmo nomes mais tarimbados do plantel, como Alexandre Pato, hoje dono da posição em que costuma atuar.

Além de Pato, Toró também é um forte concorrente para Everton. O garoto revelado pelas categorias de base do São Paulo chamou a atenção do técnico Cuca desde suas primeiras exibições nos treinamentos da equipe profissional e vem sendo acionado frequentemente pelo comandante tricolor, que muitas vezes aposta no atleta para dar mais velocidade à sua equipe e fortalecer o contra-ataque.

Somente neste ano, Everton já teve de ficar afastado dos gramados em três períodos, graças à diferentes lesões. Em fevereiro, sofreu um estiramento no músculo reto femoral da coxa esquerda. Em maio, concussão cerebral. Já no mês passado a causa da vez foi uma lesão de grau II no músculo adutor da coxa direita.

Contratado em abril por R$ 15 milhões, Everton disputou 29 jogos com a camisa do São Paulo no ano passado e marcou cinco gols. Já na atual temporada, o meia-atacante entrou em campo 21 vezes pelo Tricolor, a maioria delas pelo Campeonato Paulista, balançando as redes em duas oportunidades.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Um comentário em “Concorrência de Pato e Toró faz Everton ter de se adaptar à nova realidade

  1. Time grande é assim. Pelo menos nessa posição o elenco foi bem montado.
    1 posição, 2 jogadores com qualidade pra ser titular, 1 jovem da base com potencial.

    Se fizessem isso em todas as posições seríamos um time competitivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.