Como há mais de mil dias: São Paulo busca 4ª vitória seguida para ter paz

“Alguém lembra aqui quando a gente ganhou três jogos seguidos? Mais de três meses? No São Paulo, isso não existe. Precisamos ganhar três, quatro, cinco seguidas, ganhando confiança para o adversário nos temer”. Esse foi o discurso de Rodrigo Caio para o elenco antes da vitória sobre o Bragantino, na semana passada. Às 21h30 desta quinta-feira, em Maceió, contra o CSA, o time busca o fim de um jejum mais longo: não vence quatro jogos seguidos desde 2015.

A última vez que o Tricolor embalou quatro triunfos consecutivos foi em março de 2015, sob o comando de Muricy Ramalho: pelo Campeonato Paulista daquele ano, fez 1 a 0 no São Bento, no dia 12, 2 a 1 na Ponte Preta, no dia 15, e 3 a 0 sobre o Marília, no dia 22, além de bater o San Lorenzo, da Argentina, por 1 a 0, no dia 18, pela Libertadores.

Entre o 3 a 0 sobre o Marília, naquele 22 de março de 2015, e a partida desta quinta-feira passaram-se exatos 1061 dias. Faz tanto tempo que Rodrigo Caio é o único que participou daquela sequência que continuou no clube – Hudson também estava presente, mas, de lá para cá, passou uma temporada emprestado ao Cruzeiro, no ano passado.

Mais do que acabar com esse jejum, a quarta vitória consecutiva é uma necessidade para o São Paulo. A partida contra o CSA, no estádio Rei Pelé, é a única válida entre os clubes pela segunda fase da Copa do Brasil. Classifica-se quem vencer e, em caso de empate, a decisão vai para os pênaltis. Mas avançar com sofrimento só pioraria a avaliação do início da temporada da equipe de Dorival Júnior.

Na atual sequência de três vitórias, o Tricolor conviveu com vaias em todos os jogos por conta de um desempenho irregular e pouco convincente. O protesto ocorreu tanto no triunfo por 1 a 0 diante do Madureira, em Londrina, pela Copa do Brasil, em 31 de janeiro, quanto no 2 a 0 sobre o Botafogo de Ribeirão Preto, no dia 3, e no 1 a 0 ante o Bragantino, no dia 7, sendo esses dois últimos disputados no Morumbi, ambos pelo Campeonato Paulista.

Essas reações negativas significam que simplesmente eliminar o CSA nos pênaltis não será suficiente para uma exigente torcida, que passou as duas últimas temporadas mais preocupada em evitar um rebaixamento inédito no Campeonato Brasileiro do que em brigar por título. Vencer o jogo desta quinta-feira é encarado quase como uma obrigação.

Para aumentar a pressão, no domingo, o São Paulo ainda tem um clássico, no Morumbi, contra o Santos, pelo Campeonato Paulista, em uma sequência que complica ainda mais qualquer tropeço. Por isso, em Maceió, ou o clube faz o que não consegue há mais de mil dias ou já pode se preparar para um ambiente de impaciência no fim de semana.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*