Com sombra de Ganso, Jadson fala em “base forte” e “continuidade”

Até Lucas abrir vaga ao se transferir para o Paris Saint-Germain, Jadson é o titular mais ameaçado pela chegada de Paulo Henrique Ganso, com Osvaldo logo atrás. No domingo, foi ele o escolhido a sair para a estreia do ex-santista, no segundo tempo do jogo contra o Náutico.

Quando é abordado sobre a concorrência e a responsabilidade maior por jogar bem, o camisa10 se mostra meio sem jeito. Ao mesmo tempo em que elogia o novo companheiro, deixa transparecer o desejo de não sair da equipe.

“A chegada do Ganso só tem a somar, é um grande jogador. É claro que nossa equipe tem uma base forte e esperamos continuar nessa pegada, dar continuidade nas vitórias para, quem sabe, levantar a taça da Sul-americana”, disse o jogador, nesta quarta-feira, durante embarque para Santiago, onde enfrentará a Universidad Católica.

Desde antes da compra de Ganso, entretanto, o técnico Ney Franco salienta que ambos podem atuar juntos. A justificativa para ter tirado Jadson, no domingo, foi querer não desfazer a formação de três atacantes, que tem dado certo ultimamente. A adaptação sem Lucas seria trabalhada no futuro, com tempo, na pré-temporada.

Além da partida de ida da semifinal da Copa Sul-americana, o São Paulo tem pelo menos mais três compromissos no ano (a volta do torneio e as duas rodadas restantes do Campeonato Brasileiro). Com uma eventual decisão continental, a temporada se estenderia por mais dois jogos.

A meta é, portanto, aproveitar esse fim de ano para dar ritmo de jogo a Ganso, que inclusive viajou a Santiago em vez de seguir treinando na capital paulista. “Esperamos encaminhar nossa classificação. Voltamos com mais respeito (por eliminar a Universidad de Chile, na fase anterior), mas a gente da responsabilidade, que vai ser grande também”, comentou o 8 tricolor.

 

Fonte: Gazeta Esportiva – Foto: Vipcomm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*