Com salário alto e concorrência pesada, Pabón está perto de sair

Em um ataque com Pato, Luis Fabiano, Alan Kardec e Osvaldo, além dos garotos Ewandro e Ademilson, pode sobrar para Dorlán Pabón. O contrato do colombiano com o São Paulo acaba no dia 30 de junho e quase não há perspectiva de renovação. A tendência é que ele seja devolvido ao Valencia, da Espanha. O técnico Muricy Ramalho é favorável à permanência por considerar que ainda vai precisar do jogador no Brasileirão. No entanto, deixou a diretoria à vontade para decidir o que fazer com o atacante. Os dirigentes não estão muito dispostos a mantê-lo no grupo no segundo semestre.

A relação custo-benefício não foi boa até agora. Pabón chegou para ser titular, mas nunca conseguiu se firmar e acabou indo para o banco depois que Pato estreou. Em 17 partidas, a maioria delas partindo da reservas, fez apenas um gol, de pênalti, contra o XV de Piracicaba, pelo Campeonato Paulista. Outro problema são os altos salários. O colombiano tem vencimentos semelhantes ao que o clube paga mensalmente a Alan Kardec, que chegou com status de estrela. Mesmo garantindo que há dinheiro em caixa, a diretoria quer investir o montante na contratação de um zagueiro e um segundo volante, pedidos por Muricy.

O presidente Carlos Miguel Aidar também gostaria de valorizar as categorias de base, dando espaço para os jovens do Tricolor. Contra o Atlético-PR, Pabón ficou no banco de reservas e Boschilia, de 18 anos, acabou ocupando o lugar de Pato no intervalo.

O colombiano foi liberado pelo Valencia gratuitamente por 18 meses em janeiro. Sem o São Paulo ter muito conhecimento sobre o atleta, ficou decidido que os clubes fariam três contratos de seis meses cada. Os espanhóis também estão autorizados a pedir o retorno do atacante ao fim de cada acordo. Recentemente, ele surgiu como alvo do Monterrey, do México, equipe que já defendeu. O assunto será resolvido no Morumbi até o fim de semana. No sábado, o São Paulo recebe o Atlético-MG e depois entra em férias, antecedendo a excursão para os Estados Unidos.

 

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Com salário alto e concorrência pesada, Pabón está perto de sair

  1. Mais uma prova da falta total de planejamento e de um projeto para o futuro que norteou o São Paulo na era JJ.E estas histórias de Lugano e Kaká sinalizam para a mesma situação.Ou o São Paulo assume projeto de prestigiar a base, formar bons jogadores, ou fica nesta metralhadora giratória que traz trocentos jogadores (caros) e sem resultado.Lúcio,Pabon,são apenas alguns exemplos.

  2. Que bons ventos o levem. Bom rapaz, mas não deu certo no SP, para mim, depois que soube que seu nome não constava na lista de convocados da Colômbia (será que mandaram o VT do jogo dele contra o Coritiba?). Parece que México será seu destino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*