Com pelo menos três desfalques desde o início do ano, Leão se ‘vira’ para escalar SP

O zagueiro Rhodolfo virou problema para o técnico do São Paulo, Emerson Leão, dois dias antes da partida mais importante do ano para o clube. Apesar de não estar descartado para o duelo da semifinal da Copa do Brasil, diante do Coritiba, o defensor será só mais um problema para o treinador, que desde o início do ano convive com os desfalques.

Logo na estreia da temporada, Leão não pôde contar com Rogério Ceni, Cañete e Fabricio. Na época, o goleiro ainda tinha esperanças de fugir do bisturi e se recuperar apenas com a fisioterapia, o que não foi possível e lhe tirou de todas as 32 partidas do time até aqui.

O mesmo acontece com o meia argentino, operado em 2011 e ainda em recuperação de lesão no joelho direito. Já Fabricio chegou a atuar em três partidas, mas machucou-se novamente e após dois meses deve voltar a ser opção em breve.

Ainda no início da temporada, Leão viu o volante Wellington, em grande fase, romper o ligamento do joelho esquerdo e entrar para o time dos desfalques.

Com tantas ausências, a diretoria tratou de reforçar o elenco. Porém, Douglas, chegou do Goiás e ficou fora 15 jogos antes de estrear.

Por lesões e suspensões, Luis Fabiano também deixou o time na mão em algumas oportunidades. A mais sentida ocorreu na semifinal do Paulistão contra o Santos, quando o camisa 9 ficou fora após três cartões amarelos.

“A gente se acostuma [com as baixas]. Tem que se virar, porque nem sempre podemos escalar o time ideal. Tem hora que a gente não consegue escalar o time ideal, mas depois um já recupera, o outro volta de suspensão. Temos um dia para recuperar [o Rhodolfo] e vamos torcer para que dê certo”, disse Émerson Leão, que teria a volta do time ideal após 25 dias. Com a provável ausência do zagueiro, o treinador mais uma vez terá que mudar seus planos.

As suspensões e contusões não são o único problema de Leão. O treinador já perdeu jogador para as seleções principais e sub-20, além de não poder contar com o zagueiro Paulo Miranda por decisão da diretoria.

Juntos, Paulo Miranda e Rhodolfo já desfalcaram o setor defensivo em 10 oportunidades, enquanto Casemiro, Denilson e Cicero, jogadores que protegem a cabeça de área, foram ausências em nove jogos.

Vale lembrar que dos titulares, sem contar Rogério Ceni, o goleiro Dênis é o único que disputou todas as partidas da temporada. Cortez ficou fora apenas de uma.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*