Com M1TO no comando, Tricolor inicia luta pelo tetra

Acabou a espera. Depois de dois anos fora, o São Paulo está de volta à Copa Libertadores. Na noite desta quarta-feira, no Estádio do Morumbi, o Tricolor Paulista enfrentará o Bolivar-BOL, pela primeira fase da competição continental. Torneio que o clube já conquistou em três oportunidades – 1992, 1993 e 2005.

A Libertadores é o grande desejo de todo torcedor são-paulino. O goleiro Rogério Ceni tem grande ligação com a competição. Após completar 40 anos na última terça-feira, o camisa 01 vai em busca do tricampeonato. Em 93, ele viu Zetti brilhar no gol tricolor. Já 12 anos depois, foi o grande destaque na conquista são-paulina.

Os números comprovam a eficiência do M1TO na Libertadores. Rogério é o atleta na história do São Paulo que mais atuou no torneio – são 72 jogos no total. Também é o que ostenta o maior número de vitórias – 43 no total. Além disso, o goleiro é o artilheiro histórico do clube na Libertadores com 11 gols marcados em oito edições disputadas.

O técnico Ney Franco conta com a experiência do capitão para avançar na Libertadores e chegar à fase de grupos, onde poderá enfrentar o Atlético-MG, Arsenal-ARG e The Strongest-BOL. Para o comandante são-paulino, Rogério Ceni está no ápice da carreira, mesmo aos 40 anos de idade.

“O Rogério chegar aos 40 anos jogando é reflexo do profissionalismo que ele mostra no dia a dia. Ele está colhendo o fruto de toda essa base que ele teve. É um jogador que sempre é o primeiro a chegar e o último a sair. A qualidade dele faz diferença e pudemos comprovar isso na estreia do Campeonato Paulista”, disse Ney Franco, lembrando de grandes defesas do goleiro na vitória sobre o Mirassol por 2 a 0.

“Ele não está jogando só pelo nome que ele tem aqui no clube, pelas conquistas, mas pelo goleiro que é, muito bom. Parece um garoto de 23, 24 anos. Está no auge da carreira dele. Por isso está disputando mais uma Libertadores. Está jogando um futebol em alto nível, muito bem preparado fisicamente”, completou o comandante tricolor.

Rogério sabe da importância da competição deste ano. Com contrato até o fim deste ano, a Libertadores de 2013 pode ser a última na carreira do goleiro. Por conta disso, ele, mais do que ninguém, fará de tudo para vencê-la. E o camisa 01 contará com bons aliados para chegar neste objetivo.

Um deles é o artilheiro Luis Fabiano, que estará no comando de ataque do Tricolor. No meio de campo, o camisa 10 Jadson será o responsável por ditar o ritmo da equipe. Já no sistema defensivo, Rogério terá a proteção do xerife Lúcio, um dos reforços do clube para essa temporada. O pentacampeão chega com os mesmos desejos do companheiro.

“Qualquer jogador sonha em conquistar a Libertadores. É uma grande competição, os maiores clubes do continente estão lá. Sem dúvida que vamos trabalhar firme e dar o melhor para que isso venha a se tornar real para o São Paulo nesse momento”, disse Lúcio.

O São Paulo espera conquistar um bom resultado no Morumbi para levar vantagem no jogo da volta, dia 30 de janeiro, na Bolívia. Nesta quarta-feira, além da experiência de Rogério Ceni, Lúcio, Jadson e Luis Fabiano, o apoio da torcida tricolor será fundamental. Um dia após o aniversário do M1TO, uma vitória seria um grande presente a esse ídolo adorado por todos.

SÃO PAULO X BOLÍVAR (BOL)

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 22/1/2012, às 22h (horário de Brasília)
Árbitro: Robero Silvera (URU)
Auxiliares: Mauricio Espinosa (URU) e Marcelo Costa (URU)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Douglas, Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington, Denilson e Jadson; Aloísio, Osvaldo e Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

BOLÍVAR: Argüello; Christian Vargas, Nelson Cabrera, Tobías e R. Cardozo; Walter Flores, Damir Miranda, Lizio, Alvarez e J. Arce (Maygua); William Ferreira. Técnico: Miguel Angel Portugal.

 

Fonte: Site Oficial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*