Ceni x Cuca: Choque-Rei marca reencontro de antigos desafetos

O clássico do próximo sábado entre São Paulo e Palmeiras, às 19h, no Morumbi, marcará o primeiro duelo de Rogério Ceni, em sua nova profissão, contra um técnico que o comandou enquanto goleiro. Atual campeão brasileiro, Cuca treinou o Tricolor em 2004, ainda no início de sua carreira. Os dois, inclusive, tiveram problemas quando trabalharam juntos.

Contratado após tirar o Goiás da zona de rebaixamento em 2003 e fazer ótima campanha no segundo turno, Cuca levou o São Paulo à semifinal da Libertadores daquele ano, mas caiu por um pacote que incluiu a eliminação para o Once Caldas – que seria campeão –, uma campanha irregular no Brasileirão e também problemas com alguns jogadores.

Um deles era justamente Rogério Ceni. Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, em abril de 2013, quando trabalhava no Atlético-MG, Cuca se disse arrependido.

Pela primeira vez, Ceni vai enfrentar, como técnico, um ex-comandante (Foto: Marcos Ribolli)Pela primeira vez, Ceni vai enfrentar, como técnico, um ex-comandante (Foto: Marcos Ribolli)

Pela primeira vez, Ceni vai enfrentar, como técnico, um ex-comandante (Foto: Marcos Ribolli)

– Ele (Rogério Ceni) teve uma discussão com meu preparador físico (Omar Feitosa) e eu peguei as dores do meu preparador sem saber o teor, e o teor era que ele estava totalmente errado, o meu preparador – disse Cuca, que completou, na mesma entrevista:

– Tive uma discussão com o Rogério Ceni, que eu acho o maior ícone da história do São Paulo e o melhor goleiro com quem já trabalhei, em que eu estava errado.

Em abril de 2004, Feitosa e Ceni discutiram feio durante um rachão no Morumbi. Ironia do destino, na última segunda-feira, a cena se repetiu no Palmeiras, com outro personagem icônico. No fim de um treino idêntico, o preparador físico, que voltou a trabalhar com Cuca no ano passado, se desentendeu com o volante Felipe Melo. O técnico interveio.

Embora tenha considerado Cuca um desafeto por muito tempo, Rogério Ceni sempre reconheceu nele uma capacidade acima da média para montar equipes, e ressaltou isso depois da vitória por 2×0 sobre o Avaí, na noite de segunda.

– O Cuca é um grande treinador, campeão brasileiro, é consagrado, com muita rodagem, muito tempo de estrada. Foi meu técnico há 13 anos e tem sempre uma boa estratégia de jogo. Será complicado enfrentá-lo por sua capacidade de armar equipes. Ele é muito qualificado. Vamos tentar fazer o melhor possível para neutralizar os pontos fortes do Palmeiras e enxergar uma brecha para vencer o jogo – analisou.

Na última quarta-feira, depois da classificação para as oitavas de final da Libertadores, Cuca foi questionado sobre o são-paulino.

– É difícil falar, um treinador analisar outro treinador. Deixo para vocês analisarem, mas torço para que ele vá bem como treinador, como foi um bom goleiro – declarou.

Cuca reencontra seu antigo desafeto no Choque-Rei do próximo sábado (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)Cuca reencontra seu antigo desafeto no Choque-Rei do próximo sábado (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Cuca reencontra seu antigo desafeto no Choque-Rei do próximo sábado (Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação)

Na derrota por 3×0 no Campeonato Paulista, na arena do Palmeiras, o rival ainda era comandado por Eduardo Baptista. Foi uma das piores atuações do São Paulo no ano, principalmente no segundo tempo, em que, mesmo atrás no placar, Ceni teve que mudar o time para se defender e evitar uma goleada.

– É um clássico e uma vitória seria fundamental contra um time que investiu tanto dinheiro, contratou tanta gente, tem tantas opções, trouxe um novo treinador. Mesmo não tendo o poder de contratações que o Palmeiras tem, espero fazer um jogo parelho, pegado.

Veja abaixo a lista dos treinadores de Ceni no São Paulo e na Seleção:

  • Telê Santana, Muricy Ramalho, Parreira, Darío Pereyra, Nelsinho Baptista, Mário Sérgio, Carpegiani, Levir Culpi, Vadão, Oswaldo de Oliveira, Roberto Rojas, Cuca, Emerson Leão, Paulo Autuori, Ricardo Gomes, Sérgio Baresi, Adilson Batista, Ney Franco, Juan Carlos Osorio, Doriva, Zagallo, Vanderlei Luxemburgo e Felipão.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*