Campo e academia: Cueva faz intensivão para recuperar boa fase

São Paulo e Cueva têm a consciência de que o camisa 10 não vive bom momento. Tecnicamente, ele caiu muito de rendimento e, desde que retornou de lesão muscular na coxa esquerda, não conseguiu se destacar. O que também se nota é que fisicamente o atleta está abaixo da sua melhor forma, apesar de a equipe ter ficado 17 dias sem jogos após a eliminação no Campeonato Paulista. Para reagir, não há outro jeito: Cueva tem trabalhado dobrado no CT da Barra Funda.

Em busca da recuperação, o jogador tem participado normalmente dos treinos comandados pelo técnico Rogério Ceni. E, além disso, está fazendo trabalho de recondicionamento físico e fortalecimento muscular no Reffis. Contando sempre com a presença de um preparador, ele faz diversos exercícios nos aparelhos de musculação. Além disso, também realiza atividades aeróbicas.

Os números mostram como o rendimento de Cueva caiu após a contusão sofrida em ação pela seleção peruana no dia 29 de março, contra o Uruguai, pelas eliminatórias. Até aquele jogo, o peruano havia marcado sete gols e dado quatro assistências para os companheiros. Mais do que isso, era o termômetro da equipe em campo, a criação sempre passava por ele. Na maioiria do tempo, era visto pelo lado esquerdo do ataque, mas também tinha liberdade para se movimentar.

Cueva não vive bom momento na temporada (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)Cueva não vive bom momento na temporada (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

Cueva não vive bom momento na temporada (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

Depois que sofreu a lesão, Cueva ficou 17 dias em tratamento no Reffis. Normalmente, um estiramento leva de três a quatro semanas de recuperação. Mas, como a equipe havia perdido para o Cruzeiro, pela Copa do Brasil, e tinha o Corinthians pela frente, pelo Campeonato Paulista, pensou-se num plano para colocar o camisa 10 em campo.

Nos dias 10 e 11 de abril, ele trabalhou com os fisioterapeutas no gramado. No dia 12, passou para a preparação física. No dia 14, trabalhou com bola com os companheiros pela primeira vez. No dia seguinte, treinou novamente e foi relacionado para o Majestoso. Mas seu desempenho não foi bom contra o Timão. Nem nos jogos seguintes, contra Cruzeiro, novamente contra Corinthians, Defensa y Justicia e Cruzeiro de novo, a situação melhorou. Tanto que ele acabou substituído em todas as partidas. Sem gols ou assistências.

O técnico Rogério Ceni aposta todas suas fichas nesse trabalho físico que está sendo feito. Em sua última coletiva, após a derrota para o Cruzeiro, ele deixou claro que o camisa 10 está nos seus planos.

– Se disser que o Cueva vive o melhor momento estaria mentindo, né? Se disser que não deposito nele as minhas maiores fichas também estaria mentindo. Mas cada atleta passa por momentos difíceis e cabe a nós recuperar a parte física, para ter mais disposição. Sem dúvida ele é um termômetro do time. Cria-se uma expectativa sempre no jogador diferenciado. Espero que ele volte a render o melhor dele o mais rápido possível. É um jogador importante para nós – disse Ceni.

A princípio, o peruano deverá atuar na partida da próxima segunda-feira, contra o Avaí, no estádio do Morumbi, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*