Patrocínio: São Paulo tem opção de romper contrato com oferta maior

O São Paulo anunciou na última terça-feira o patrocínio master do banco Intermedium até junho de 2020. No entanto, a parceria sobre a parte nobre da camisa pode acabar antes. Isso porque há uma cláusula no contrato que permite a rescisão, sem pagamento de multa, em caso de o clube receber uma proposta com valores acima. Neste caso, o Intermedium precisaria cobrir ou no mínimo equiparar a proposta. A cláusula vale a partir da metade do vínculo.

Pelo acordo com a Intermedium para a parte da frente da camisa, o São Paulo receberá R$ 14 milhões fixos por ano. O banco já estampava sua marca na parte de trás, em acordo fechado por cerca de R$ 5 milhões anuais. Há ainda a entrada da MRV Engenharia, outra empresa do grupo, no omoplata. A estimativa inicial era que o pacote rendesse cerca de R$ 23 milhões anuais.

Com todos os contratos, ultrapassa a casa dos R$ 20 milhões em patrocínio no uniforme. Há ainda a construtora Joli (barra traseira), a empresa do ramo alimentício Urbano (barra dianteira), a empresa de tubos e conexões Corr Plastik (mangas) e guaraná Poty (calção)

Após o anúncio, as partes comemoraram a ampliação do acordo. O São Paulo estava sem patrocinador master desde março, com a saída da Prevent Senior. Desde então o espaço vinha sendo ocupado pela Corr Plastik,

 

Fonte: Lance

Um comentário em “Patrocínio: São Paulo tem opção de romper contrato com oferta maior

  1. Enquanto isso 16 clubes da série A tem patrocínio da Caixa Econômica Federal. O contrato da CEF com o Santos seria de R$ 16 milhões enquanto o Botafogo RJ teria R$ 15 milhões – fonte: LANCE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*