Campeões e especialistas duelam em Majestoso ‘cascudo’ pela Libertadores

Ainda na Colômbia, minutos depois de eliminar o Once Caldas (COL), o técnico corintiano Tite deu a letra sobre a sua expectativa para o primeiro confronto da fase de grupos da edição de 2015 do maior torneio continental: o clássico desta quarta-feira contra o arquirrival São Paulo, em Itaquera.

– Vou tentar resumir: são dois campeões mundiais. Isso é muito.

E é muito mesmo! Pelo menos metade do elenco de cada clube tem experiência em Libertadores, fora a galeria de campeões que tentará chegar longe na 56 edição do torneio. O Corinthians tem no seu elenco atual, comandado por Tite (campeão em 2012), cinco medalhistas de ouro: Cássio, Fábio Santos, Ralf e Danilo, entre os titulares, além de Edu Dracena, que venceu em 2011, no Santos, mas hoje é reserva.

Do outro lado do confronto, o São Paulo tem dois campeões dirigidos por Muricy Ramalho (vencedor da edição de 2011): o ídolo Rogério Ceni, que levantou a taça pelo próprio clube, em 2005, e o meia Paulo Henrique Ganso, campeão ao lado de Edu Dracena vestindo a camisa do Santos.

Apesar do maior número de campeões da Libertadores, o Corinthians tem menos jogadores que já disputaram a competição: 15, contra 17 do São Paulo. Em relação às conquistas individuais, somando os títulos de cada um, a diferença volta a pesar: o Corinthians tem 99 “taças” contra 67 do São Paulo: Danilo ganhou 21 campeonatos, Sheik, 20, e por aí vai. Já no Tricolor, Rogério Ceni tem 22 títulos, e seu perseguidor mais direto é Luis Fabiano, campeão metade das vezes. Entre os outros nomes, ninguém passa das sete conquistas de Ganso. A média de idade do time do São Paulo, contudo, é mais baixa, apesar da presença de Ceni: 28 anos contra 29 do rival.

Histórico à parte, os dois rivais começam a escrever uma nova história amanhã. Tem mais título vindo aí?

Se por um lado Corinthians e São Paulo esbanjam experiência, títulos e histórico na Libertadores, de outro também é alto o número de jovens jogadores inscritos na edição de 2015 do torneio. Nesse cenário, o Corinthians chama atenção: são oito jovens revelados na base e 15 estreantes. Destes 15 nomes, três já haviam sido inscritos em 2013, última edição com participação da equipe: o goleiro Matheus Caldeira e os zagueiros Felipe (hoje titular da equipe de Tite) e Yago. Só Felipe, no entanto, chegou a atuar, por 16 minutos no empate em 1 a 1 com o San José, em Oruro. Hoje, é ele o parceiro de Gil na defesa corintiana.

Já o São Paulo inscreveu sete jogadores revelados na base para esta primeira fase, incluindo Rodrigo Caio, que voltou a treinar com o grupo semana passada após seis meses fora por lesão. Ao todo, são 12 jogadores que poderão fazer suas estreias na Libertadores, inclusive alguns que nem são mais tão novos, como o meia Michel Bastos, de 31 anos. Ele já jogou até Copa do Mundo, mas, ao lado de Reinaldo, é um dos únicos titulares de amanhã que nunca estiveram em duelo válido pela Libertadores.

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*