Bauza veta treino de pênaltis em reconhecimento do São Paulo no Horto

O técnico Edgardo Bauza explicou nessa terça-feira os motivos que o levaram a vetar os treinos de pênaltis no São Paulo. Após comandar o reconhecimento do estádio Independência, onde a equipe enfrentará o Atlético-MG, nessa quarta-feira, o Patón disse que as atividades voltadas para penalidades não refletem a realidade de uma cobrança realizada durante uma partida.

O São Paulo venceu o Atlético-MG por 1 a 0 no jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores, no Morumbi, e jogará pelo empate para conquistar a classificação. Uma derrota pelo placar mínimo levará a briga pela semifinal para as penalidades. O temor da torcida é de que o Tricolor volte a sofrer com o desempenho ruim que apresentou nessa temporada. Foram seis pênaltis desperdiçados só nesse ano.

“Nunca treino pênaltis. É muito diferente treinar agora e depois bater com 40 mil pessoas no estádio. No momento, se precisar, escolho os cinco que estiverem melhores”, afirmou o Patón, após as atividades táticas que comandou com portões fechados no Independência. Quando a imprensa teve acesso ao estádio, poucos titulares cobravam pênaltis por vontade própria.

Nesse ano, desperdiçaram pênaltis Michel Bastos, na vitória por 1 a 0 sobre o Universidad César Vallejo e no empate por 1 a 1 com o Linense, Ganso, no empate por 1 a 1 contra o Trujillanos, e Maicon, na vitória por 2 a 1 diante do Oeste.

Artilheiro da Libertadores, o argentino Calleri também desperdiçou duas penalidades. Ele perdeu uma na derrota por 3 a 1 para o São Bernardo e teve um tiro defendido na goleada por 6 a 0 sobre o Trujillanos. Na segunda vez, no entanto, ele conseguiu anotar o gol no rebote dado pelo goleiro do time venezuelano.

Reconhecimento – Os jornalistas não tiveram acesso aos últimos ajustes feitos por Bauza no Tricolor, já que a maior parte dos jogadores se encaminhava para os vestiários após a abertura dos portões. O zagueiro Maicon e o meia Michel Bastos estavam com bolsas de gelo na coxa, mas foram confirmados no jogo. Segundo o Patón, o time que irá a campo tem Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes, Kelvin, Ganso e Michel Bastos; Calleri.

“Não será uma guerra, mas é uma partida dificílima. Por sorte quem apitará o jogo é um árbitro internacional, que tem experiência e em quem eu confio. Ele conseguirá acalmar os jogadores. É uma final e deve ser jogada como tal”, disse Bauza, que deseja ver a mesma entrega demonstrada pelos jogadores na partida do Morumbi.

“Não vai mudar o estilo do São Paulo nem o do Atlético-MG. Os dois vão jogar como vêm jogando. Não se pode mudar a forma de jogar. A equipe local vai pressionar muito, tratar de por muito ritmo na partida. Teremos que ser muito inteligentes para sairmos dessa situação. Os gols são consequência do que cada equipe pode fazer. Nossa missão é classificar, temos 90 minutos para trabalhar”, concluiu.

 

Fonte: Gazeta  Esportiva

2 comentários em “Bauza veta treino de pênaltis em reconhecimento do São Paulo no Horto

  1. Mais uma posição polêmica de Bauza. Contraria o senso comum. Eu acho que um time que perdeu seis pênaltis no ano deveria treinar com o fundamento com alguma frequência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.