Bauza pede movimentação de atacantes para suprir ausência de Ganso

O técnico Edgardo Bauza abriu mão de ter um armador na partida diante do Água Santa, neste sábado, às 17h (de Brasília), no Pacaembu, mas já se preveniu contra a possível falta de criatividade da equipe. Ciente da dificuldade em vencer a defesa de um time do Paulista e da necessidade de abrir espaços na retaguarda adversária, o treinador pediu para a dupla Calleri e Kieza se movimentar a todo momento enquanto o camisa 10 ganha descanso para encarar o Universidad César Vallejo, no Peru.

“O professor pediu para os dois se movimentarem bastante porque não vai ter o Ganso, então tem que ter uma movimentação maior na frente, tentar confundir a defesa”, afirmou Kieza, que fará a sua estreia com a camisa tricolor. Após ficar no banco no Peru e de lá assistir ao belo gol de Calleri, encobrindo o goleiro Libman e assegurando o empate aos paulistas, ele acredita que pode fazer uma boa dupla com o companheiro, mesmo sendo praticamente da mesma posição.

“Espero que dê tudo certo, que a gente possa jogar junto pela primeira vez e consiga se entrosar o mais rápido possível. Foi nosso primeiro treino junto, é pouco, mas sei que dá para se acertar durante a partida e entender o que cada um quer na hora do jogo”, avaliou o jogador.

Premiado com a camisa 9 em sua apresentação, o vice-artilheiro do país no ano passado, com 29 gols enquanto estava no Bahia, não escondeu a felicidade em poder fazer seu primeiro jogo pelo clube do Morumbi diante da torcida, que deve ter bom público no estádio municipal paulistano em meio ao feriado de Carnaval.

“A sensação vai ser muito boa, mas eu venho treinando há bastante tempo, buscando meu espaço, não acho que vá sentir na parte física. Espero que a gente possa fazer um grande jogo e conquistar essa primeira vitória na competição”, avaliou o jogador, que disse estar convicto da real possibilidade de ser titular, mesmo com a forte concorrência de Alan Kardec e do próprio Calleri.

“Jamais eu iria desanimar com a presença de companheiros de alto nível. Eu estou no São Paulo, trabalhei muito para chegar aqui. Não tem como a gente desanimar jogando em um grande clube como esse. A chegada do Calleri vem só para nos ajudar a melhorar ainda mais o nosso desempenho”, encerrou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*