Bauza exime defesa de críticas, mas instiga concorrência entre zagueiros

Nada irrita mais o técnico Edgardo Bauza do que uma falha defensiva. Mas para o argentino, que exige uma equipe compactada do meio para trás, o gol da Ponte Preta na derrota por 1 a 0 do último sábado, em Campinas, não deve ser atribuído aos defensores são-paulinos. Bauza creditou o revés a uma desatenção de todo o time e instigou os zagueiros a brigarem entre si pelas duas vagas disponíveis entre os titulares.

“Perdemos a bola num lugar em que isso não poderia acontecer. Não foi uma falha defensiva, foi uma falha na hora de manter a posse de bola. Tanto que a equipe controlou bem a partida depois de sofrer o gol”, afirmou Bauza, que no duelo escalou o uruguaio Diego Lugano e o recém-chegado Maicon como titulares. A dupla de zaga foi a quinta formada pelo treinador nesse ano e só entrou em campo porque Rodrigo Caio teve de ser poupado pelo técnico.

Diante das opções no elenco, Bauza foi taxativo ao ser questionado sobre quais serão os dois zagueiros que terão a condição de titular na sequência da temporada. “O melhor”, afirmou o treinador. Além dos defensores que atuam com mais frequência, Bauza tem à disposição os jovens Lucão e Lyanco para formar o setor da equipe.

Michel Bastos – Criticado por torcedores organizados nas últimas semanas, o meia Michel Bastos sentiu uma lesão muscular no primeiro tempo da partida e teve de ser substituído por Carlinhos. O atleta será submetido a um exame médico nesse domingo para saber qual é a gravidade da contusão. É improvável que o jogador tenha condições de enfrentar o Mogi Mirim nessa terça-feira, no estádio do Pacaembu, em jogo atrasado da terceira rodada do Paulista.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*