Ataque do São Paulo decepciona após ter atenção especial em treinos

O São Paulo teve de terça a domingo para se preparar para a partida contra o América-MG. Com muito tempo, o técnico Ricardo Gomes dedicou atenção especial ao ataque com dois dias de treinos de finalizações no CT da Barra Funda. Porém, na hora da prática, o setor foi uma negação. Foram 18 chutes a gol e cinco chances claras desperdiçadas. No fim, derrota por 1 a 0, o que deixou a equipe a seis pontos da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro.

Ricardo Gomes tentou de tudo nesta segunda-feira. Iniciou a partida com Kelvin, David Neres e Cueva formando o trio ofensivo do meio-campo e Chavez atuando como referência mais à frente. Logo no primeiro tempo, João Ricardo brilhou em lances de Chavez e David Neres. Ainda na etapa inicial, David Neres teve outra oportunidade cara a cara com o goleiro do América e, de cabeça, testou longe da meta adversária.

No segundo tempo, o Tricolor não teve o mesmo comportamento e o treinador partiu para as alterações. Primeiro sacou Kelvin e colocou o garoto Pedro. Com isso, Chavez passou a atuar aberto pelo lado esquerdo. Nada mudou. Na sequência, Luiz Araújo entrou na vaga do argentino. Até o final da partida, apesar de ter muito mais posse de bola e de rondar a área do adversário, a equipe não conseguiu pelo menos marcar o gol de empate.

Os números no Campeonato Brasileiro mostram claramente a deficiência do setor ofensivo do São Paulo. Os paulistas têm o terceiro pior ataque do Campeonato Brasileiro, com 32 gols marcados em 33 partidas, somente à frente de América-MG (21 gols) e Figueirense (28 gols).

Para o ano que vem, a diretoria sabe do problema e foca em reforços para aumentar a qualidade ofensiva. Nilmar, que está nos Emirados Árabes, é um sonho, assim como Wellington Nem, que joga no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. Outros nomes comentados são os de Rafael Marques, do Palmeiras, e William, do Cruzeiro.

Fonte: Globo Esporte

2 comentários em “Ataque do São Paulo decepciona após ter atenção especial em treinos

  1. Se a defesa não defende sozinha, o ataque também não ataca sozinho. O problema é que a bola não chega no ataque como deveria (ontem até que chegou e o David Neres desperdiçou algumas; outras um verdadeiro goleiro, o do América, defendeu).
    O problema é que o treinador fica treinando o ataque sem ter um esquema tático que privilegie os atacantes. Não há troca de posições; jogadas ensaiadas (nem nas bolas paradas); ultrapassagens pelas laterais ou chutes de fora da área. Um só jogador, Cuevas, tenta fazer jogadas diferentes que podem provocar algum perigo à defesa adversária; os demais é o “arroz com feijão” “treinado” pelo técnico. Agora temos que chorar na cama porque é lugar quente! Esperar o fim desta temporada e que caia uma luz sobre essa péssima diretoria são-paulina que a inspire a trocar de treinador antes do início da pré-temporada do ano que vem…

  2. Time do SPFC contra os gambás
    Denis
    Wesley, Maicon, Lyanco e Lucão
    R.Caio, Thiago Mendes, Schmidt, Wellington, Arthur, Banguelê (será que está inscrito?) e
    Cueva
    Um time do jeito RPG bem “ofensivo” #sqn
    Se pudesse entraria com Denis, Renan e Leo no gol, mas o regulamento não permite…
    Está muito triste ser são paulino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*