André Jardine vai à Europa ver Barcelona, Real Madrid e outros clubes

André Jardine está na Europa. Estimulado e liberado pelo São Paulo, o auxiliar permanente da comissão técnica chefiada por Diego Aguirre viajou em busca de aprendizado e atualizações com o consentimento do comandante uruguaio.

A viagem estava programada há algum tempo, e Jardine retornará ao São Paulo na próxima semana. O profissional de 39 anos está em um processo contínuo de aprendizado.

A ideia de Jardine viajar nesta data tem um propósito: ver o maior número possível de partidas e treinos, para observar e conhecer uma diversidade de técnicos e estilos.

Entre a última terça-feira e a próxima segunda-feira, Jardine estará no total em seis jogos:

  • Terça-feira (23/10) – Real Madrid x Viktoria Plzen, pela Liga dos Campeões (Santiago Bernabéu, Espanha);
  • Quarta-feira (24/10) – Barcelona x Inter de Milão, pela Liga dos Campeões (Camp Nou, Espanha);
  • Quinta-feira (25/10) – Milan x Bétis, pela Liga Europa (San Siro, Itália);
  • Sábado (27/10) – Atlético de Madrid x Real Sociedad, pela Liga Espanhola (Metropolitano, Espanha);
  • Domingo (28/10) – Barcelona x Real Madrid, pela Liga Espanhola (Camp Nou, Espanha);
  • Segunda (29/10) – Tottenham x Manchester City, pela Premier League (Tottenham Stadium, Inglaterra).

André Jardine no Barcelona com o volante Arthur — Foto: Reprodução

André Jardine no Barcelona com o volante Arthur — Foto: Reprodução

Entre as partidas, Jardine tenta conciliar visitas a treinos. Na última segunda-feira, por exemplo, ele esteve na atividade do Barcelona.

Nas suas redes sociais, Jardine registrou imagens com Philippe Coutinho e Arthur, volante revelado no Grêmio. O auxiliar, inclusive, treinou o jogador na base do Tricolor gaúcho e foi o responsável por trocar a posição do agora atleta do Barcelona: de segundo para primeiro volante.

Philippe Coutinho e André Jardine, auxiliar do São Paulo — Foto: ReproduçãoPhilippe Coutinho e André Jardine, auxiliar do São Paulo — Foto: Reprodução

Philippe Coutinho e André Jardine, auxiliar do São Paulo — Foto: Reprodução

Jardine tem o sonho de um dia virar treinador do time principal do São Paulo. O clube sabe do projeto futuro e investe na capacitação do profissional, mas não há pressa nem um prazo determinado para isso virar realidade.

O agora auxiliar chegou a treinar interinamente a equipe do Tricolor entre a saída de Dorival Júnior, hoje no Flamengo, e a contratação de Aguirre. Jardine comandou o time nas vitórias sobre RB Brasil (3 a 1, pelo Paulistão, no Morumbi) e CRB (3 a 0, pela Copa do Brasil, em Maceió).

Diego Aguirre e André Jardine no São Paulo — Foto: Renata Lutfi/Saopaulofc.net

Diego Aguirre e André Jardine no São Paulo — Foto: Renata Lutfi/Saopaulofc.net

Antes, em 2016, o auxiliar dirigiu a equipe contra o Santa Cruz (vitória por 2 a 1 no Recife) e Botafogo (derrota por 1 a 0 no Morumbi).

O auxiliar é também responsável por facilitar a integração entre categoria de base e profissional. Hoje, Aguirre conta com jogadores revelados em Cotia no elenco: Lucas Perri, Araruna, Rodrigo Caio, Luan, Liziero, Igor Gomes, Antony, Shaylon, Brenner e Caique.

Fonte: Globo Esporte

7 comentários em “André Jardine vai à Europa ver Barcelona, Real Madrid e outros clubes

  1. A cabeça do Aguirre tem inicio e fim. (não tem meio) Porisso que depois de 1/2
    ano esgota o pouco conhecimento e dura sómente l/2 ano em cada clube.
    No são Paulo também já esgotou e chegou ao fim. Tchau Aguirre.
    O) Jardine tem talento que o mundo ainda vai conhecer. Tomara que nunca saia
    do São Paulo porque ele tem amor pelo nosso clube !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Esta matéria é a prova do que venho escrevendo sobre o comportamento do Aguirre em relação ao Jardine. Quando o treinador iniciou seus trabalhos, como não conhecia o elenco do S.Paulo, ele confiou ao Jardine indicações de quem e como aproveitar os atletas do elenco e até de alguns que ainda estavam na base. Sempre que o time titular ia ter um desfalque ou não estava jogando bem durante uma partida, ele chamava o Jardine e discutia com ele as possibilidades. Assim os meninos da base foram ganhando confiança, se firmando no grupo e o time buscava os resultados. Tão logo o time chegou onde chegou, a primeira coisa que percebi foi o escanteamento do Jardine, ficando entre o treinador e seu auxiliar que o acompanha as decisões sobre quem fazer o que. Daí em diante, acabaram as chances da base e virou essa mer…cadoria que temos hoje: lateral na ponta; lateral no meio campo; zagueiro de lateral e, os resultados? … todos estamos vendo: campanha do segundo turno digna de segundona.
    Acredito que a própria diretoria tenha percebido isto; daí o envio do Jardine para essa excursão numa hora em que o time está nessa inhaca mas que ele não pode ajudar, já que não é ouvido!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*