Aloísio quer repetir 2012 e garante apoio a Luis Fabiano

Não existe meio termo. O atacante Aloísio faz questão de elevar os seus sentimentos à flor da pele. Quando entra em campo, alia a qualidade técnica com a luta para brigar por cada milímetro de grama. Com essa gana, se recuperou uma semana antes da previsão do departamento médico, que era de 21 dias, do estiramento no músculo adutor da coxa direita e está pronto para estrear no Brasileiro.

Em seu último jogo (ver mais abaixo), saiu aos 11 minutos por conta desta lesão. Deixou o campo aos prantos e, viu a eliminação da equipe no Paulista e na Libertadores.

– Foi a lesão mais difícil, a mais dolorida, a mais doída. Acho que, naquele momento, foi um baque muito grande – disse Aloísio, ao LANCE!Net.

Recuperado, quer ajudar o time na disputa do Campeonato Brasileiro. As boas atuações no torneio nacional em 2012, com a camisa do Figueirense, despertaram o interesse do São Paulo. Terminou o Nacional com 14 gols, em terceiro no ranking da artilharia. Agora, Aloísio sabe que terá novos desafios pela frente:

– Mais do que uma afirmação, vou poder jogar o Brasileiro em uma equipe grande, de tradição, que disputa campeonatos grandes, títulos, como o Brasileiro. Espero que aconteçam duas coisas: que eu possa ajudar o clube e a gente esteja brigando pelas primeiras posições.

Em 24 jogos em 2013, Aloísio marcou seis gols – quatro no Paulista e dois na Libertadores. Contra a Ponte Preta, amanhã, será reserva de Luis Fabiano, que vive incomodado com a desvalorização do clube e pode sair. Aloísio vê Fabuloso como fundamental na caminhada rumo ao hepta nacional e pede a manutenção dele, mas, caso seja negociado, está preparado para assumir a titularidade.

– Se precisar de mim, vou estar preparado. Eu quero que o Luis fique para nos ajudar, mas o futebol é uma “caixinha de surpresa” e, se aparecer essa oportunidade, quero continuar fazendo bonito aqui – afirmou.

Do choro das eliminações, Aloísio quer batalhar para, em dezembro, se emocionar com o título brasileiro.

Gols fora de casa

Sorte em campinas
Aloísio fez seis gols pelo Tricolor na temporada, todos longe de casa. E, a cidade de Campinas traz boas lembranças a ele. Nas duas últimas passagens pela cidade, uma pelo São Paulo e outra pelo Figueirense, o atacante pôde balançar as redes.

Brinco de Ouro
Diante do Guarani, na quinta rodada do Campeonato Paulista, Aloísio, de cabeça, fez o primeiro gol dele pelo Tricolor. O São Paulo venceu por 2 a 1.

Moisés Lucarelli
Em 2012, pelo Figueirense, marcou um dos gols da equipe diante da Ponte Preta, no empate em 2 a 2, no dia 8 de setembro, no Campeonato Brasileiro.

Fabuloso recebe apoio

Por conta da lesão no músculo adutor da coxa direita sofrida no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, diante do Atlético-MG, Aloísio acompanhou de fora a eliminação para o Galo e também a derrota nos pênaltis, na semifinal do Estadual para o Corinthians.

No clássico, viu Luis Fabiano perder um dos pênaltis decisivos e ser criticado. Para Aloísio, o grupo dá apoio a Fabuloso para que ele seja uma peça importante no elenco.

– A gente procura ajudar ele o tanto que ele ajuda a gente. Tentamos devolver o que ele nos faz, nos ajuda e damos um suporte para ele fazer os gols. Ele é irreverente, brinca, sempre bem humorado – disse.

Companheiro de ataque, Aloísio também afirma que não vê o atacante Luis Fabiano tão chateado.

Bate-Bola

Aloísio
atacante, em entrevista ao LANCE!Net, por telefone

L!Net: Na última quarta, no amistoso contra o Londrina, você retornou de lesão. Como você avalia a sua volta antes das três semanas?
Era para eu voltar em três semanas, mas voltei a treinar com bola já em duas e até joguei. Foi bom, o pessoal da fisioterapia me ajudou bastante. O Ney também, que me deu a oportunidade.

L!Net: O que passou pela sua cabeça ao ter de sair do jogo contra o Galo, pelas oitavas da Libertadores?
Foi difícil, foi duro para mim naquele momento. Eu tinha me preparado muito bem para o jogo, como se fosse o último ou o melhor da minha carreira.

L!Net: Você saiu de campo aos prantos e recebeu o apoio do médico José Sanchez. O que ele lhe disse?
Ele foi conversando, me acalmando. Eu cheguei ao vestiário um pouco menos triste, mas depois, assisti ao jogo, fiquei triste, comecei a chorar de novo, mas essas coisas fazem parte do futebol.

L!Net: Na temporada passada, você fez 14 gols no Brasileiro. Trabalha com alguma meta para esse ano?
Tenho algumas metas: de gols, de passes, de não ficar tão impedido. Por exemplo, se eu ficar duas ou três vezes impedido, no próximo jogo tem de diminuir isso.

L!Net: Luis Fabiano está chateado após as declarações de Juvenal?
Eu não acho que está chateado. Mas se eles estiverem conversando (Luis Fabiano e Juvenal Juvêncio), isso daí é coisa deles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*