Aidar vai cair em contradição se não tentar Lugano. Rivais negam contato

O técnico Muricy Ramalho, do São Paulo, surpreendeu na noite do último sábado e contrariou o presidente Carlos Miguel Aidar e o vice-presidente de futebol Ataíde Gil Guerreiro ao declarar, após vencer o Grêmio por 1 a 0, no Morumbi, que não custaria nada tentar a contratação do zagueiro uruguaio Diego Lugano, de 33 anos, que rescindiu contrato com o West Brom, da Inglaterra. Antes, a diretoria havia declarado com veemência que não queria Lugano, mas agora, para manter a coerência com todo o respaldo bradado ao treinador, terá de tentar o negócio. Interesses de Grêmio e Cruzeiro na contratação do zagueiro, relatado por amigos, são negados pelos clubes.

Na manhã do dia 18 de abril, dois dias após ser eleito, Carlos Miguel Aidar foi a um treino do São Paulo no Morumbi ao lado de seu vice Ataíde Gil Guerreiro. Naquele dia, à beira do gramado, anunciou que Muricy teria total autonomia para trabalhar. Além de permanência garantida, sem risco de demissão, apontaria os reforços a serem trazidos: “O chefe do futebol se chama Muricy Ramalho”, disse, em discurso reforçado por Ataíde: “Quem vai comandar todo o processo é o Muricy. Ele é que vai dizer o que precisamos para sermos campeões brasileiros”, falou o vice.

Um mês depois, no último dia 16 Diego Lugano rescindiu contrato com o West Brom. Questionado sobre a possibilidade de contratar o uruguaio, ídolo do São Paulo, sem ter de gastar, Aidar rechaçou: “Não, não. Quero contratar zagueiro jovem”, disse o presidente, que também afirmou que a prioridade era um defensor canhoto – não é o caso de Lugano. Ataíde Gil Guerreiro, mais uma vez, reforçou o posicionamento de Aidar. O São Paulo não queria Lugano.

O susto na diretoria foi dado por Muricy Ramalho, no sábado, ao rasgar elogios para o uruguaio e abrir as portas do clube para sua volta. “Não custa nada tentar, vamos olhar”, disse o técnico. A partir de então, após ter falado publicamente sobre a autonomia que Muricy teria para montar o time, não haveria outra solução a não ser mudar de ideia e de discurso.

Segundo pessoas próximas de Diego Lugano, Grêmio e Cruzeiro fizeram contato e iniciaram negociações para contratá-lo, o que é negado pelos dois clubes. O interesse dos rivais brasileiros teria acendido no São Paulo a vontade de repatriar o uruguaio. “Nós tivemos contato com o Lugano no início do ano passado, mas desde então não houve mais nada. Agora não existe possibilidade nenhuma de acontecer”, afirma o diretor de futebol do Grêmio, Rui Costa. Alexandre Mattos, diretor de futebol do Cruzeiro, segue a mesma linha: “A gente tem quatro bons zagueiros aqui, não temos qualquer interesse”, diz. As mesmas pessoas próximas do zagueiro afirmam que ele jamais aceitará jogar em outro clube do Brasil que não seja o São Paulo.

No domingo, no programa “Mesa Redonda”, da TV Gazeta, Carlos Miguel Aidar demonstrou outra postura e disse que tentará negociar com o uruguaio. No entanto, colocou ressalvas quanto ao salário que Lugano deve pedir e disse que precisaria de investidores para concluir a transação. Membros do clube acreditam que o presidente possa ter apenas cedido à pressão de Muricy Ramalho e da torcida – que gritou o nome do uruguaio no Morumbi – e que não tenha, de fato, mudado de ideia. A reportagem não conseguiu contato com Aidar na segunda-feira.

Capitão da seleção uruguaia, Lugano viajará ao Brasil nas próximas semanas para a disputa da Copa do Mundo. Antes de deixar o West Brom, ele passou por Málaga (ESP), Paris Saint-Germain (FRA) e Fenerbahçe (TUR), clube para o qual foi vendido quando saiu do São Paulo. No Morumbi, virou ídolo ao conquistar Libertadores e Mundial, em 2005.

 

 

Fonte: Uol

Um comentário em “Aidar vai cair em contradição se não tentar Lugano. Rivais negam contato

  1. Gente, vamos observar o Lugano jogando pela sua seleção e ver se ainda está em condições de fazer boa figura na zaga são-paulina; sem contar, ver o que ele vai pedir para assinar contrato e por que prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*