Ademilson ganha apoio interno após gols perdidos no Morumbi

Ademilson foi substituído aos 37 minutos do primeiro tempo do duelo com o Atlético-MG, na quinta-feira. Ele havia entrado aos 11, no lugar do lesionado Aloísio, e precisou sair para que Ney Franco consertasse a defesa depois da expulsão de Lúcio, quando o São Paulo ainda vencia por 1 a 0.

A situação poderia ter passado batida se o jovem atacante não tivesse desperdiçado tantas chances de gol e se, depois, o time não tivesse sofrido a virada por 2 a 1. Nos 26 minutos em que ficou em campo, perdeu quatro oportunidades de ampliar a vantagem. Além de isolar um chute de frente para o goleiro Victor, bateu mal outras duas bolas e errou cabeceio na pequena área.

“Ele sabe muito bem que a substituição não foi técnica. Depois da expulsão, eu tinha que refazer nossa primeira linha de quatro para não correr riscos”, adiantou-se o treinador são-paulino, antes de dar apoio. “Ele é um jogador novo (19 anos) e sabe que vai passar por momentos de extrema alegria e momentos como esse. Tem que se superar, porque daqui a pouco pode ser decisivo de novo”.

Ademilson havia sido decisivo no confronto anterior com o Atlético, na última rodada da fase de grupos. Após entrar na etapa final, fez o segundo gol da vitória por 2 a 0 e, pouco depois, deixou o campo por conta de pancada recebida na perna esquerda.

Nesta quinta-feira, ao ver seu número na placa de substituição, caminhou lentamente até cumprimentar Rhodolfo. No caminho, olhou para o céu, enxugou o rosto e transpareceu estar descontente consigo próprio, ainda sem saber que seria criticado através das redes sociais, mas receberia o apoio do treinador e dos demais companheiros.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*