À disposição de Muricy, Boschilia agradece conselhos de Ganso

O meio-campo é o setor mais desfalcado do São Paulo para a partida de domingo, contra o Atlético-MG, às 16h, no estádio Independência,  pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Souza e Kaká estão na Ásia com a seleção brasileira. Paulo Henrique Ganso está suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e Michel Bastos cumprirá o segundo jogo da punição imposta pelo STJD pela expulsão ocorrida na partida contra o Flamengo. Com tantas baixas, uma cria da base  deverá ter espaço para mostra seu potencial.

Boschilia tem 24 jogos na temporada, dos quais 13 no Campeonato Brasileiro. Revelado na Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano, foi promovido por Muricy Ramalho tão logo o torneio terminou. Com contrato até 2019, tem multa rescisória estipulada em R$ 120 milhões. A oportunidade de entrar desde o início não assusta o garoto de 18 anos.

– Ainda não sei se vou jogar, mas se tiver a oportunidade, vou agarrar a chance. No São Paulo, a concorrência é muito grande, são caras de alto nível. O importante é estar sempre à disposição. Sou novo, tudo tem seu tempo e nada vai me impedir de alcançar os meus objetivos. Todo dia venho aqui e trabalho firme para mostrar ao Muricy que, se precisar, é só chamar – afirmou o jogador.

Boschilia tem um jeito de jogar completamente diferente do de Paulo Henrique Ganso. Enquanto o titular tem estilo mais cadenciado e tem no passe sua maior arma, o novato é mais driblador e gosta de partir para cima. O garoto ressalta que, dentro do elenco, a pessoa que mais lhe dá conselhos é justamente o camisa 10.

– Ele sempre fala para eu ter paciência e trabalhar porque tenho potencial e uma hora minha chance vai chegar. Sou um cara que tenho a sorte de trabalhar com muitos jogadores de alto nível. Além do Ganso, tem Luis Fabiano, Rogério, Kaká e vários outros. Isso só me faz buscar melhorar cada vez mais – ressaltou.

No início do Campeonato Brasileiro, Boschilia virou notícia por ter tomado uma bronca de Muricy Ramalho no final do clássico contra o Corinthians, disputado em Barueri, e que terminou empatado por 1 a 1. O garoto só agradece ao treinador e diz que o episódio ficou no passado.

– Desde que subi para o profissional, o professor Muricy tem ajudado bastante. Ele cobra bastante, mas sabe elogiar. Encarei aquilo como uma bronca, mas está tudo bem. Não tem nenhum problema – finalizou.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*