Conheça a joia da base do São Paulo que negou fortuna pelo sonho tricolor

Marquinhos Cipriano, de 17 anos, é considerado um dos maiores talentos da base do São Paulo. Não à toa, ele subiu uma categoria recentemente e tem sido destaque do sub-20 na Copa RS. O garoto recebeu a chance de jogar com atletas mais velhos do que ele porque o Tricolor teve de mandar uma equipe alternativa para o sul do país. O motivo? Na mesma semana, os titulares do sub-20 foram campeões da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista da categoria.

Nesta quarta-feira, aliás, Cipriano comanda o São Paulo no duelo com o Grêmio, às 21h (de Brasília), pelas quartas de final da Copa RS. O jogo terá transmissão do SporTV.

Cipriano foi contratado pelo São Paulo por R$ 1 milhão, em setembro de 2015 – o garoto estava no Desportivo Brasil desde os 14 anos. Antes disso, ele havia feito testes no Santos e no próprio Tricolor. Não passou em nenhum deles. O pontapé inicial na carreira foi dado aos 11 anos, em uma escolinha de Bauru, onde morava com a família. Mas Marquinhos é natural de Catanduva.

O garoto sempre foi precoce no futebol. Aos 15 anos, por exemplo, ele foi chamado pela equipe sub-17 do Desportivo Brasil para a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2014 e fez o gol mais bonito do torneio. Marquinhos Cipriano disputou mais uma vez a Copinha em 2015 e começou a despertar o interesse de outros clubes: Grêmio, Palmeiras, Santos, Corinthians, Internacional, Flamengo. Mas seu sonho mesmo era jogar pelo São Paulo.

De família são-paulina, Marquinhos colocou desde cedo na cabeça que gostaria de seguir carreira no time do Morumbi. Abriu mão até de uma fortuna oferecida pelo Flamengo por conta do seu sonho.

O time carioca chegou a oferecer R$ 2 milhões ao Desportivo Brasil, R$ 1 milhão ao empresário do jogador (ele é representado por Juan Figer) e R$ 1 milhão de luvas ao atleta e seus familiares. Era a chance de fazer um pé de meia.

Mas o jogador se manteve fiel aos seus princípios e avisou que gostaria de ir para o São Paulo, que deixou claro que não pagaria nem comissão e nem luvas, mas compensaria oferecendo um salário maior do que o pago habitualmente a garotos dessa idade. Martelo batido, ele se mudou para o CT de Cotia.

Pouco tempo depois, o São Paulo recusou proposta de R$ 7 milhões do Atlético de Madri por Cipriano. Na época, os espanhóis vieram ao Brasil observar o volante Thiago Maia, do Santos, e, levados pelo mesmo empresário, viram Cipriano em ação ainda pelo Desportivo Brasil. Mas o São Paulo nem quis conversar. O atleta também não.

Marquinhos demorou seis meses para poder jogar pelo Tricolor – não tinha como ser registrado nos torneios que o time disputava por conta do fim das inscrições. A estreia pelo São Paulo foi na Copa Belo Horizonte deste ano. Cipriano foi vice-artilheiro, com cinco gols marcados. No Paulista sub-17, mais gols. Foi o artilheiro, com 21. No total, foram 39 jogos pelo sub-17, com 28 gols.

Veio, então, a promoção ao time sub-20.

Histórias de família

Marquinhos Cipriano irmã e sobrinho (Foto: Divulgação)Marquinhos Cipriano com a irmã Monique e o sobrinho Samuel (Foto: Divulgação)

Marquinhos nasceu em uma família humilde. Os pais, Alessandra Cipriano e Edval Cipriano, ainda moram em Bauru e já se acostumaram a viver longe do filho desde os 13 anos de idade.

O atacante tem um irmão gêmeo, Mateus, que é jogador de vôlei, e uma irmã, Monique, que é casada e já tem um filho, Samuel. O jogador recentemente descobriu que ganhará a oportunidade de reencontrar o avô, “seo Natal”, como é chamado pelos familiares. A última vez que ele o viu foi quando tinha cinco meses.

Na segunda-feira, o Tricolor venceu o Atlético-MG por 4 a 0 e o jogador dedicou sua atuação e os dois gols marcados ao avô, que havia acabado de sofrer uma cirurgia em Catanduva, onde mora. A família havia perdido o contato com “seo Natal” e só agora eles conseguiram reencontrá-lo.

Lucas Moura, o ídolo

Marquinhos Cipriano Lucas Moura São Paulo (Foto: Divulgação)Marquinhos Cipriano e seu ídolo, Lucas Moura, também cria do São Paulo (Foto: Divulgação)

Também vem de Cotia o grande ídolo de Marquinhos Cipriano na carreira: Lucas Moura, que brilhou no Tricolor em 2012 e hoje defende o Paris Saint Germain, da França. Os dois têm estilos muito parecidos: muita velocidade, facilidade para driblar e ótimo poder de finalização. Tanto que, após a vitória sobre o Botafogo por 4 a 1, na semana passada, o jogador falou sobre Lucas Moura em entrevista ao SporTV. O jogador do PSG estava acompanhando a partida e postou nas redes sociais elogios a Marquinhos e desejos de sorte na carreira

Marquinhos tem presença garantida no time do São Paulo que vai disputar a Copinha, em janeiro. Mas não é exagero pensar que ele pode integrar o profissional comandado por Rogério Ceni ainda este ano. O garoto tem vínculo até setembro de 2018 com a equipe do Morumbi e sua multa rescisória é de R$ 110 milhões.

 

Fonte: Globo Esporte

4 comentários em “Conheça a joia da base do São Paulo que negou fortuna pelo sonho tricolor

  1. “Desportivo Brasil para a disputa da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2014 e fez o gol mais bonito do torneio”

    procurei, mas não achei esse gol.

    em 2014, o Desportivo Brasil caiu na primeira fase e todos os gols marcados pela equipe foram ou do Luís Felipe ou do Wellington Bueno.

    não achei nenhum Marcos nem nas súmulas das partidas.

    gostaria de ver esse gol…

  2. Ai eu pergunto, com um garoto desse, mais David Neres, Luiz Araújo, Lucas Fernandes, Shaylon, entre outros, precisa mesmo trazer atacante paraguaio de 22 anos? Não seria melhor apostar e dar crédito a garotos bons de bola?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*