A folga dos jogadores acabando e nada mudou no São Paulo

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, a inércia se manteve e o São Paulo permaneceu imutável. Segunda-feira o elenco estará de volta e tudo aquilo que se falou quando foi decidido o período de folga do elenco, não se cumpriu.

Na última entrevista coletiva de Cuca, após o empate frente o Atlético-MG por 1 a 1, em Belo Horizonte, foi usado o termo “família São Paulo”, dando sentido a essa pausa. Mais do que o descanso, o que se interpretou é que a diretoria faria os ajustes no elenco durante a pausa para a Copa América. Cuca, inclusive, foi repreendido quando deixou escapar que alguns jogadores, cientes que sairiam, estavam desgostosos e isso contaminava o elenco.

O que se imaginava era que uma grande reformulação seria feita no departamento de futebol, incluindo, principalmente, saída de jogadores. Nomes como Bruno Peres, Jucilei e Nenê eram dados como certos. Biro Biro, William Farias também estavam na mira da porta da rua.

Mas o que mudou? Carlinhos Neves pediu demissão e saiu. Pedro Campos, que já estava no clube, assumiu. O analista de desempenho, Romildo Lopes, foi demitido. Aliás, isso serviu para esquentar os bastidores políticos, pois colheram fotos e publicações dos analistas que ficaram, principalmente Luis Felipe Batista, jurando amor ao Corinthians. Apostam que os outros dois que ficaram também são corinthianos e que Romildo era o único são-paulino no departamento.

Aliás, vou abrir um parênteses nessa questão. Sequer levei a sério esse barulho. Afinal, se no Conselho Deliberativo há corinthianos, palmeirenses e santistas, por que razão num lugar onde o ambiente é profissional não pode ter?

Voltando ao tema principal, segunda-feira as portas do CT de Cotia se abrirão e o elenco estará de volta. Sem qualquer mudança significativa. Como eu disse no começo, a inércia continua se fazendo dominante pelos lados do São Paulo. E isso faz aquela pequena luz que eu teimo em enxergar lá no fim do túnel fique cada vez mais fraca, quase sumindo. Que tristeza!

13 comentários em “A folga dos jogadores acabando e nada mudou no São Paulo

  1. Aliás, que piada pronta, não?
    Um petista que não trabalha e que torra o dinheiro alheio sem responsabilidade nenhuma. Quem diria ein?

    Coincidências da vida.

  2. O Cuca tem as desejadas 3 semanas de treinos, ou a pré temporada que foi ignorada pela diretoria quando foi atrás do dinheiro da Flórida cup. Flórida cup que saiu caro pois saímos da libertadores por causa dela. A mesma urgência da libertadores que colocou Hernanes em campo sem condições de jogo e perdemos meio ano tentando recuperar o mesmo… erro atrás de erro… que decepção com o Raí.

    Agora a torcida tem que fechar com o Cuca, e torcer por 3 anos sob uma mesma comissão técnica pra quem sabe voltarmos a ganhar algo. Infelizmente duvido que isso aconteça e o Cuca não vai terminar o Brasileirão no comando…. e voltamos à estaca zero.

  3. 22 de junho de 2019 às 0:04 Amigos, o fogo amigo nos destruiu.
    Hermano, adorei o seu jornal de hoje, falou tudo que queria ouvir. Acrescento eu cansei, claro te acompanho e assisto todos os jogos do saopaulo, isso no diminutivo porque a grandeza ficou no passado, nao acredito ter um tecnico com o nome do nosso que consegue queimar os atacantes transformando os em defensores, isso nao existe na minha maneira e claro e tambem na tua e da maioria de nossos amigos do site de ver o futebol. E por isso que enxergo no Bahia e em outros clubes medios uma condicao tatica muito mais coerente do que o sistema atual que esse infeliz quer aplicar em cima de nossos jogadores, talvez nao sejam os melhores mas no minimo sao iguais aos times medianos. Cansei de sacanagens. Vao todos da diretoria e comissao tecnica a la mierda, karajo, nao os jogadores e claro eles fazem o que essa aberracao pede. Enfim os poderosos sao os que mandam. Adios.

  4. 22 de junho de 2019 às 0:04
    Hermano, adorei o seu jornal de hoje, falou tudo que queria ouvir. Acrescento eu cansei, claro te acompanho e assisto todos os jogos do saopaulo, isso no diminutivo porque a grandeza ficou no passado, nao acredito ter um tecnico com o nome do nosso que consegue queimar os atacantes transformando os em defensores, isso nao existe na minha maneira e claro e tambem na tua e da maioria de nossos amigos do site de ver o futebol. E por isso que enxergo no Bahia e em outros clubes medios uma condicao tatica muito mais coerente do que o sistema atual que esse infeliz quer aplicar em cima de nossos jogadores, talvez nao sejam os melhores mas no minimo sao iguais aos times medianos. Cansei de sacanagens. Vao todos da diretoria e comissao tecnica a la mierda, karajo, nao os jogadores e claro eles fazem o que essa aberracao pede.

  5. Paulo Pontes, trabalhei no SP e posso afirmar com certeza: é inconcebível que corintianos e palmeirenses, especialmente os fanáticos, trabalhem no departamento de futebol do São Paulo. Torcedor de futebol é apaixonado e quer o mal para o adversário. Os corintianos e palmeirenses que trabalham no SP podem até fingir que trabalham direito, mas no fundo estão sempre contra o clube. Um dos grandes problemas do SP é essa tolerância com funcionários do departamento de futebol que juram amor aos rivais.

  6. Mas tudo bem. Lugano fazendo bico de comentarista, Raí fazendo relações públicas (que deveria ser papel do Lugano) passeando pela Copa América e fazendo juras de amor pro Leco. A pausa foi agitada.

  7. Com Leco e sua cambada dando as cartas no clube a letargia e a incompetência continuam! Esperança que o Cuca consiga montar um time no seu estilo e dar alguma alegria aos torcedores.
    #ForaLeco

  8. Mudanças? Reestruturação? Com esta diretoria? Com ela nada vai acontecer, continuaremos a decair até sumir . E o conselho vai ficar contente ajudou a desmanchar o time que era chamado soberano
    Na verdade , não há ninguém que possa salvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.