Mudanças esperadas, mas o “novo” ainda está distante

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, o elenco se reapresentou nesta segunda-feira e algumas decisões foram tomadas: Biro Biro teve seu contrato rescindido; Nenê, Jucilei e Bruno Peres foram liberados para procurar clubes. Atitudes tomadas nesta segunda-feira, mas que poderiam ter sido feitas há dez dias. Afinal, para quem está com dificuldade para pagar as contas e até atrasando direito de imagem de alguns jogadores (informação da Folha de São Paulo), ter dez dias a menos de salários – altos, diga-se de passagem – já ajuda.

Mas esses afastamentos não se traduzem em novidade. Não era segredo para ninguém que estes jogadores não estavam nos planos de Cuca, assim como não estão Willian Farias, Everton Felipe e alguns outros que deverão ter o destino longe do São Paulo.

Mas onde está o “novo”? Não me refiro a alguma venda ou dispensa de jogador, mas de contratação. Ninguém chegou. Enquanto do outro lado do muro do CT, onde sobram dinheiro e jogador, ainda assim trouxeram Ramires, do lado de cá continuamos com o mesmo elenco, só um pouco mais fraco. Sim, pois acredito que Nenê poderá fazer falta, já que tem entrado em alguns jogos e ajudado o São Paulo com assistências.

Aliás, quero voltar em Biro Biro. Que contratação, heim Raí? Que visão de futebol! Contrata um cara que, em seis meses, jogou 49 minutos. Essa daí vai ter que ser muito bem explicada. Se é que existe algum argumento par tal.

Com isso quero dizer que as promessas não vingaram. Aquela história de dar folga ao elenco para formar a família São Paulo, ou seja, na volta os excluídos já teriam seus destinos fixados, além de que os reforços pedidos por Cuca se apresentariam junto dos demais jogadores, não foi concretizada. A tal reformulação no departamento de futebol se prendeu a três nomes: preparador físico, analista de desempenho e funcionário agressor de torcedor. E só.

Mas, como disse no editorial anterior, torcedor que sou do clube da fé, continuo vendo aquela luz no fim do túnel. Ainda que quase apagada, tenho óculos para vê-la. Espero que não seja o farol do trem.

10 comentários em “Mudanças esperadas, mas o “novo” ainda está distante

  1. Está difícil a situação da Portuguesa Futebol Clube. Elenco fraco, diretoria inerte, estádio antigo e obsoleto, patrocínio fraco, cofres mal geridos, futebol e clube social misturados……..
    Não vejo saída alguma.
    Uma pena

  2. Como eu disse, Raí jogador sempre será ídolo, mas como dirigente já cometeu erros que teriam levado qq um a demissão.
    Em dois anos:
    Trocou varias vezes de técnico, todos com perfil diferente: Dorival, Aguirre, Jardine, Mancini e Cuca.
    Perdeu Militao.
    Rasgou dinheiro com Diego Souza, Trellez e Carneiro.
    Fez contratos milionarios com Nene, Jucilei, Everton, Hudson e Reinaldo. Nenhum outro clube toparia pagar o que pagamos pra eles.
    Apostou mal em: Jean, Everton Felipe, Birô Biro…

    Estou procurando um acerto mas está difícil….

  3. Exatamente Paulo Pontes. Postergaram demais a saída dos atletas, o que só aumentou o desgaste.

    Raí, ao que parece, incorporou a retórica vitimista de seu partido. Disse que as críticas são “orquestradas” pela oposição. Exemplo perfeito de paranoia delirante.

    Acho que fui o primeiro a pedir Raí no futebol, quando ele ainda estava no conselho. Acreditava piamente que um ex-jogador não poderia fazer um papel pior que um executivo da área de cosméticos. Por isso, defendi-o quando ainda não tinha tempo suficiente de trabalho. E, realmente, torci muito para que fosse bem sucedido. Mas, infelizmente, e com muito pesar, que reconheço que o outrora ídolo tornou-se um presença funesta ao Tricolor.

    São muitos erros. Muitos. Alguns absolutamente injustificáveis, como as contratações de Tréllez, Carneiro, Biro-Biro, Éverton Felipe, Calazans e por aí vai. Fora os contratos absurdos, como quatro anos para Jucilei e outros tantos para Éverton Chinelinho, ambos recebendo meio milhão mensais. Se alguém orquestrou essas besteiras foi o maestro Raí e não a torcida.

    Já que Cuca manda e desmanda no departamento de futebol, qual a razão de se manter Raí, Lugano e Mancini no clube? Se ainda estivessem agregando algo de positivo …

    • Mais erros : Bruno Peres ( ?????? ), aumento salarial para o Nenê poucos meses após a contratação, demissão do Aguirre , efetivação do Jardine ( grotesco, primário, absurdo ), contratação do Pato ( Cuca não queria ) ……………….

  4. Bem… vou reiterar o que venho escrevendo desde que foi noticiada a adoção de “mudanças”: muita fumaça, muita pirotecnia – em tempos de São João, né? – mas de prático mesmo… tudo como dantes no quartel do Abrantes. Na verdade, a Fundação Gol de Letra e o EC Pinheiros, são bem mais prioritários que o pobre Tricolor… aquele que um dia foi grande e sonhou ser soberano, mas agora se encontra em fase de decadência eterna. Patrimônio social caindo aos pedaços e sem nenhuma previsão de melhoria a curto prazo. E o futebol… ora o futebol, continua servindo para locupletar alguns, em detrimento do maior patrimônio da instituição: SUA IMENSA, INSATISFEITA E DESESPERADA TORCIDA!!!!

    • É Waldir, estamos afundando. Lembro que esse auto intitulado infeliz apelido de “soberano” ajudou a piorar nossa situação.
      Atrelou à marca SPFC uma imagem de arrogância, soberba, que não é positiva quando pretendemos negociar contratos de publicidade e patrocínios.
      Vamos eliminar de vez esse termo “soberano” de nosso vocabulário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.